Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Três jovens britânicos detidos a caminho do Estado Islâmico

  • 333

A polícia britânica confirmou este domingo a detenção na Turquia de três jovens britânicos, dois adolescentes e um com 19 anos, que alegadamente planeavam alistar-se no Daesh, na Síria. 

A história não é nova, apenas os protagonistas. Dois adolescentes de 17 anos, acompanhados por um jovem adulto de 19, deixaram a cidade onde viviam, Londres, com o intuito de alegadamente se alistarem nas fileiras do Estado Islâmico, na Síria. A informação é avançada pelo jornal britânico "Guardian", que adianta que os jovens britânicos ainda não foram formalmente acusados.

Na passada sexta-feira, os dois adolescentes foram dados como desaparecidos. Imediatamente, a unidade antiterrorista britânica alertou as autoridades turcas - que têm estado alerta para interceptar britânicos que atravessem a Turquia com o intuito de se juntar aos jiadistas - do seu desaparecimento. As autoridades da Turquia acabariam por interceptar os dois jovens, juntamente com um adulto de 19 anos, e detê-los na capital, em Istambul.

Os três britânicos foram, então, reenviados para o Reino Unido na noite de sábado e detidos com base em suspeitas de preparação de atos terroristas. Atualmente, estão "numa esquadra da polícia, no centro de Londres" e os seus familiares já foram contactados, garantiu a Polícia Metropolitana de Londres, citada pelos jornais britânicos.

De Londres para a Síria e Iraque

Mais de 600 jiadistas britânicos fugiram do seu país para se alistar no Estado Islâmico, no Iraque ou na Síria. A notícia de este domingo surge depois de três raparigas britânicas terem deixado Londres para alegadamente se juntarem ao Estado Islâmico. Kadiza Sultana, de 16 anos, Shamima Begum e Amira Abase, ambas de 15, deixaram as suas casas em Londres e voaram para a Turquia, a 17 de fevereiro.

Antes delas, uma colega da escola realizara a mesma viagem. Partiu do aeroporto de Gatwik, em Londres, para Istambul, cruzando aí a fronteira e entrando na Síria. 

Também esta sexta-feira uma adolescente de Londres foi acusada de terrorismo, desta vez por juntar-se ao outro lado da força. Shilan Ozcelik, de 18 anos e descendência curda, tornou-se assim na primeira britânica a ser acusada por terrorismo, em virtude de se ter alistado na unidade militar feminina das forças curdas que combatem o Daesh na Síria. A rapariga de Holloway, norte de Londres, foi detida no início de este ano no aeroporto de Standsted, na capital inglesa.