Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Soterrados durante vários dias, sobreviveram ao sismo no Nepal

Krishna Devi Khadka, no momento em que foi resgatada de um prédio de cinco andares, em Katmandu

Navesh Chitrakar/Reuters

Krisna Devi Khadka ficou soterrada debaixo de um prédio de cinco andares durante 120 horas. A cozinheira de profissão foi considerada uma "rara sobrevivente". Ao ver novamente a luz do dia, a nepalesa Sunita Sitoula disse estar num mundo completamente diferente. Estas são algumas histórias de sobreviventes do sismo no Nepal que estiveram soterrados vários dias.

O sismo que abriu a terra no Nepal no passado sábado já fez mais de 6200 mortos e perto de 14 mil feridos. Mas o paradeiro de tantos outros, que viviam em zonas remotas, é ainda desconhecido, bem como o de cerca de mil cidadãos europeus. O Governo nepalês avisou que os mortos podem ascender aos 10 mil. 

Os destroços dos edifícios que não resistiram aos fortes abalos são visíveis e refletem um cenário trágico. Cidades e aldeias situadas nas proximidades do epicentro do sismo do passado sábado ficaram "quase totalmente devastadas", informou a Cruz Vermelha.

Mas, mesmo por baixo dos escombros, os milagres acontecem. Nos últimos dias foram resgatadas várias pessoas soterradas. Sobreviveram vários dias sem comida nem água, e às escuras. São histórias de pessoas que tiveram um instinto de sobrevivência excecional.

Krishna Devi Khadka ficou soterrada 120 horas

A cozinheira nepalesa, de 30 anos, foi encontrada esta quinta-feira debaixo dos destroços de um prédio de cinco andares em Katmandu. As equipas de resgate encontraram-na cinco dias depois do sismo. As operações de resgate prolongaram-se durantre toda a noite.

O resgate de Krishna foi celebrado pelas equipas de resgate francesas, norueguesas e israelitas. Não esperavam encontrar sobreviventes cinco dias depois. 

Krishna foi imediatamente levada para um hospital local, para receber tratamento. Estava consciente, serena e conseguia falar. As equipas de resgate apelidaram-na de "rara sobrevivente".

Pemba Lama pediu água

O adolescente Pemba Lama, de 15 anos, foi salvo esta quinta-feira, em Gongabu, uma das zonas de Katmandu mais danificadas pelo terramoto. 

Uma equipa de resgate nepalesa estava a trabalhar numa área destruída pelo sismo quando ouviu sons debaixo de uma pilha de destroços. Desconfiados, trouxeram cães-polícia para averiguarem se alguém estava vivo. Pemba Lama foi resgatado cinco horas depois do meio dos destroços.

Conseguiu sobreviver graças à ingestão de duas embalagens de manteiga e às gotas de água que extraiu de um pano molhado.

Quando voltou a ver a luz do dia, as primeiras palavras do jovem foram de agradecimento à equipa de resgate. Depois, disse o seu nome, morada e pediu água. Pemba foi resgatado com alguns ferimentos e febre, mas os médicos locais informaram que o jovem se encontra "bem".  

Tanka ficou 36 horas soterrada com os filhos 

Tanka Maya Sitoula, de 40 anos e mãe de quatro meninos, estava na sua casa em Katmandu quando o chão tremeu, e o prédio de cinco andares colapsou, soterrando-a no seu quarto, no rés-do-chão. Ficou presa durante 36 horas com os filhos e o marido. Esta família foi salva por uma viga que a protegeu durante a derrocada. Escaparam sem ferimentos.

Apesar das dificuldades por que passou, Tanka esteve sempre confiante de que sobreviveriam. "Ouvimos pessoas a fazerem barulho e, por isso, pensámos sempre que iriamos ser resgatados." Durante as 36 horas em que esteve encurralada, Tanka manteve-se sempre deitada. "Não havia espaço para nos movimentarmos. O meu marido começou a gritar por ajuda depois do terramoto, mas não foi ouvido."

Preso debaixo de um prédio de sete andares 

O nepalês Jon Keisi ficou preso mais de 60 horas debaixo do prédio de sete andares onde vivia, em Katmandu. Colapsou durante o tremor de terra. Foi uma equipa de resgate turca que o encontrou e salvou. Tiveram de cavar um buraco profundo entre os destroços para chegarem até Jon. Foi resgatado esta terça-feira.

Quando voltou à superfície, as lágrimas escorriam-lhe pelo rosto. A equipa de resgate afirmou à CNN que não parava de abanar a cabeça de um lado para outro. Estava confuso, bastante ferido e desidratado, mas os médicos afirmaram que Jon vai recuperar-se. 

"Parece que estou num mundo diferente" 

Quando o sismo de magnitude de 7,8 abalou o Nepal, Sunita Sitoula estava em sua casa. O edifício de cinco andares onde viva, em Basundhara, ficou completamente destruído. A nepalesa foi resgatada esta terça-feira, depois de ter estado 50 horas debaixo de terra.

Tanto Sunita como o seu marido e os dois filhos escaparam ilesos e estão agora num abrigo. Depois de ser salva, a mulher ficou incrédula com o que viu: "Parece que estou num mundo completamente diferente."