Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Somália abre "caça" a 11 membros do Al-Shabaab

  • 333

O massacre na universidade de Garissa, no Quénia, já levou centenas de estudantes a protestarem nas ruas de Nairobi

FOTO SIMON MAINA/AFP/Getty Images

No topo da lista feita pelo Governo da Somália está o líder supremo do grupo extremista responsável pelo atentado na Universidade de Garissa, Ahmed Umar Dirieh.

O Governo da Somália colocou esta quinta-feira a prémio a cabeça de 11 responsáveis do grupo islâmico Al-Shabaab, oferecendo recompensas entre os 100 mil dólares (93 mil euros) e os 250 mil (232 mil euros) pela sua captura. 

No topo da lista figura o emir (líder supremo) do grupo extremista, Ahmed Umar Dirieh, designado por "Abu Oubaïda" e que, em setembro passado, sucedeu na liderança do movimento islâmico a Ahmed Abdi "Godane", morto por um drone americano. 

O Governo daquele país oferece 250.000 dólares (232 mil euros) pela sua captura.Ele é seguido na lista pelo seu adjunto, Mahad Warsame Karate , chefe dos serviços de inteligência do grupo extremista islâmico, cuja cabeça vale 150.000 dólares (139 mil euros). Uma recompensa de 100.000 dólares (93 mil euros) é oferecida pela captura de cada um dos nove outros funcionários, incluindo Ali Mohamud Rage, porta-voz dos Al-Shabaab. 

Os militantes de Al-Shabaab reivindicam numerosos ataques na Somália e no Quénia, nomeadamente um contra a Universidade de Garissa, no Quénia, a 2 de abril passado, que matou 148 pessoas, 142 dos quais estudantes.