Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Sobe para 5 o número de mortos em incêndio num ferry. E há 66 pessoas por resgatar

Muitos dos passageiros resgatados apresentavam sinais de hipotermia

Luca Turi/EPA

Continua por esclarecer qual a origem do fogo. Muitos dos passageiros retirados apresentavam sinais de hipotermia e sintomas de inalação de fumo.

Subiu para cinco o número de mortos no acidente com o ferry Norman Atlantic, que se incendiou no domingo quando fazia a ligação entre Grécia e Itália. A confirmação de mais quatro vítimas mortais foi dada pelo ministro grego Miltiades Varvitsiotis.

Com as operações de salvamento ainda a decorrer, apesar das difíceis condições do Mar Adriático, 66 pessoas continuam por resgatar. Após escaparem ao incêndio e a uma noite gelada, muitos dos passageiros retirados apresentavam sinais de hipotermia e sintomas de inalação de fumo, adiantaram as autoridades. Ao todo, 478 pessoas viajavam no ferry.



Continua por esclarecer qual a origem do fogo. Ao que parece, as chamas terão deflagrado na área de estacionamento, sendo a hipóteses aceite como mais provável a que atribui a causa ao excesso de carga ou, pelo menos, à forma como esta foi distribuída.



A CNN cita um motorista de um camião que falou com a imprensa grega, para dizer que os camiões carregados de petróleo foram "embalados como sardinhas", com a carga a tocar no teto, o que poderia ter provocado faíscas, dada a agitação marítima.



Para piorar a situação, a marinha italiana acredita que as portas corta-fogo do navio não funcionaram, o que contribuiu para que as chamas se espalhassem rapidamente.



Entretanto, o procurador italiano de Bari, Giuseppe Volpe, anunciou  a abertura de uma investigação criminal sobre o acidente do ferry, para determinar  como é que o navio se incendiou e se houve negligência por parte da tripulação.



O dono da embarcação garantiu que todas as medidas de segurança foram tomadas e que o Norman Atlantic tinha passado todas as inspeções de segurança, incluiundo as portas de incêndio, no dia 19 deste mês. O ferry fazia a ligação entre o porto grego de Igoumenitsa e porto italiano de Ancona, tendo o incêndio deflagrado nas imediações da ilha grega de Othonoi.