Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Sismo no Nepal. Número de mortos chega aos 4100. Um milhão de crianças em risco

  • 333

Voluntários procuram vítimas nos destroços de um templo na praça Bashantapur Durbar, em Katmandu, capital e maior cidade do Nepal

FOTO Omar Havana/Getty Images

Centenas de milhares passaram a segunda noite ao relento no Nepal onde as necessidades de ajuda humanitária são urgentes. Oficialmente, contabilizaram-se 4100 mortos e 7500 feridos entre danos que também chegaram à China, Bangladesh e Índia. A devastação faz antever um aumento de vítimas, alertam as autoridades, à medida que as equipas de resgate conseguem chegar a áreas inacessíveis em busca também de milagres.

Os números trágicos do forte sismo que no sábado arrasou o Nepal, sentido no , Índia, China e Bangladesh, com avalanche nos Himalaias, continuam a subir e ascendem já a 4100 vítimas mortais - 4010 confirmadas no Nepal a somar aos 7500 feridos. Este é o mais recente balanço do Centro Nacional de Operações de Emergência do país.

Com a capital Katmandu desvastada pelo terramoto de magnitude 7,8, a escassez de alimentos e água está a desencadear uma onda de solidariedade mundial, com a União Euoepria e os EUA a fazerem chegar ajuda financeira e humanitária para suprir as necessidades urgentes de sobrevivência. 

Este é já considerado a catástrofre mais mortífero dos últimos 80 anos no Nepal. A extensão dos danos deslocou-se até à Índia e China e Bnagladesh - morreram 90 pessoas. 

Os números continuam provisórios. Há muitas aldeias ainda inacessíveis e as equipas de resgate tentam com a ajuda de cães encontrar sobreviventes nos escombros, enquanto famílias são obrigadas a dormir ao relento ou em tendas e abrigos improvisados, depois de terem perdido as suas casas. Os danos materiais foram significativos, com infraestuturas básicas destruídas e edifícios históricos e monumentos que ruíram.

A porta-voz do Programa Mundial de Alimentos da ONU, Elisabeth  Byrs, citada pela AFP, anuncia uma "enorme operação", com o envio do primeiro avião com mantimentos previsto para esta terça-feira. Chocado com as "angustiantes" imagens, John Kerry, o secretário de Estado norte-americano, anunciou um pacote de 10 milhões de dólares (cerca de 9,2 milhões de euros) em ajuda ao Nepal. E outros países já seguiram o mesmo rumo, com o envio também de equipamentos e equipas médicas.

A Unicef estima um milhão de crianças afetadas pelo sismo e alerta para o risco elevado de propagação de doenças num cenário de catástrofe como este.