Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

"Sequestro" de Gent foi afinal falso alarme

A operação envolveu uma unidade especial da polícia, um helicóptero e levou ao encerramento de várias ruas da cidade belga de Gent

NICOLAS MAETERLINCK/AFP/Getty Images

As autoridades belgas chegaram à conclusão que não houve nenhum sequestro, esta manhã, em Gent e querem levar a tribunal o homem que lançou o alerta. Trata-se de um jovem de 18 anos que, na semana passada, foi condenado num caso de tráfico de droga. Tinha ficado em liberdade condicional mas arrisca agora dois anos de prisão por falsas declarações.

Susana Frexes

A operação que envolveu uma unidade especial da polícia, um helicóptero e que levou ao encerramento de várias ruas da cidade belga de Gent foi, afinal, motivada por um falso alarme.

O responsável pelo aparato foi um jovem de 18 anos que, perto das nove da manhã, garantiu à polícia que um amigo tinha sido feito refém por quatro homens armados.

"Já sabíamos, esta manhã, que poderia estar relacionado com drogas, mas como o homem estava convicto de que o colega tinha sido feito refém por quatro homens armados com kalachnikovs tivemos de considerar a hipótese", avançou à SIC e ao Expresso a porta-voz da procuradoria de Gent.



Annemie Serlippens adiantou ainda que o jovem de 18 anos, que está ilegal na Bélgica, tinha sido condenado, na semana passada, pelo tribunal, num caso de tráfico de droga. As autoridades belgas colocam ainda a hipótese de ter agido sob a influência de estupefacientes.

O alerta foi dado perto das nove da manhã. Pouco antes da uma da tarde, a polícia entrou no edifício onde estariam os sequestradores mas encontrou apenas a suposta vítima, no apartamento. Também não foram encontradas quaisquer armas.

No prédio estavam mais três pessoas, que saíram escoltadas pela polícia e que chegaram a ser noticiadas como possíveis sequestradores. Sabe-se agora que eram apenas moradores e não tinham qualquer ligação ao caso.

Durante toda a tarde, as autoridades belgas interrogaram o presumível refém que garantiu nunca ter sido sequestrado. A procuradoria de Gent diz agora estar convencida de que se tratou de um falso alarme e pede mão pesada para o jovem que deu o alerta.

"Ele terá agora de ser presente a um juiz de instrução", explicou a porta-voz da procuradoria. O jovem de 18 anos tinha ficado em liberdade condicional depois de ter sido condenado num caso de tráfico de drogas. A pena máxima num caso de falsas declarações, na Bélgica, é de dois anos.