Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Senadores americanos pressionam comandante da NATO sobre base das Lajes

  • 333

Tiago Miranda

Tema da redução das Lajes discutido na Comissão das Forças Armadas do Senado norte-americano.

Luísa Meireles

Luísa Meireles

Redatora Principal

Três senadores americanos, entre eles o republicano John McCain, ex-candidato à presidência americana, questionaram ontem o supremo comandante da NATO (SACEUR) sobre a base das Lajes numa audição da Comissão das Forças Armadas do Senado norte-americano.

McCain, que preside à referida comissão, perguntou concretamente ao general Philip Breeddlove se não era possível encontrar outra solução ou alternativas à redução da base, decidida em 2014 no âmbito da reorganização de forças americanas na Europa, nomeadamente a deslocação do Comando Sul, do Africom (Africa) ou qualquer outra instalação.

"Portugal é um grande amigo e aliado em várias operações, como no Afeganistão e Iraque, e a base das Lajes representa um tema da maior importância para um país tão pequeno", afirmou McCain, que afirmou ter-se encontrado com o ministro Rui Machete e abordado este assunto.

Tanto os senadores Jim Inhoffe (republicano), como o democrata Jack Reed voltaram depois ao mesmo assunto, pressionando o supremo comandante da NATO e pedindo-lhe para ter as bases das Lajes em conta e não deixar de ter uma presença militar ali.

Breedlove confirmou a "grande importância de Portugal como aliado" e respondeu que estão a fazer tudo para que a situação se resolva a bem, tentando encontrar outras soluções, incluindo do ponto de vista civil, com a deslocação de empresários aos Açores.

Machete espera "intervenção positiva"

Na semana passada, Rui Machete deslocou-se a Washington para uma série de encontros políticos, entre eles o seu homólogo John Kerry, os membros do "grupo" português na Câmara de Representantes e com três senadores, entre eles McCain, para o sensibilizar, entre outros assuntos, para a questão das Lajes e do impacto da redução dos seus efetivos.

Na altura, Machete mostrou-se esperançoso numa "intervenção positiva" do chefe da diplomacia dos Estados Unidos, na discussão sobre a redução das Lajes. "É normal que [Kerry] não conheça todos os pormenores, mas foi suficientemente sensibilizado para esperarmos que tenha uma intervenção positiva nesse sentido", afirmou. 

O ministro dos Negócios Estrangeiros avançou ainda que a próxima reunião da Comissão Bilateral Permanente entre Portugal e os Estados Unidos, onde será discutido o futuro da base militar açoriana, acontece a 16 de junho em Washington.

A 8 de janeiro, o secretário da Defesa dos Estados Unidos anunciou a redução de 500 efetivos da base aérea das Lajes, ao mesmo tempo que o embaixador norte-americano em Lisboa explicou que o objetivo era reduzir gradualmente os trabalhadores portugueses de 900 para 400 pessoas ao longo do ano e os civis e militares americanos de 650 para 165.