Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Ruínas descobertas numa selva argentina "podem ter sido um esconderijo nazi"

  • 333

No século passado, os nazis construiram alguns esconderijos em locais inacessíveis à maior parte das pessoas. Esta segunda-feira foram encontradas as ruínas de um abrigo nazi na Argentina, afirma um grupo de arqueólogos.

Arqueólogos descobriram aquilo que acreditam ser ruínas de um esconderijo construído por nazis no século passado, num parque localizado numa província remota do norte da Argentina. A equipa que as encontrou afirma ainda que o abrigo servia para os nazis fugirem quando a Segunda Guerra Mundial terminasse, mas não chegaram a ser utilizadas.  

Os investigadores estão a estudar as ruínas dos três edifícios que foram encontrados no parque Teyú Cuaré, esta segunda-feira. Para encontrarem este local, conduziram quilómetros por terras repletas de pedras e, depois, viram-se obrigados a caminhar até ao esconderijo construído para os nazis. Dentro das ruínas, camufladas por árvores e com um aspeto já degradado pelos troncos e musgo que as invadiram, foram descobertas algumas moedas germânicas, datadas de 1938 e 1941, e ainda um fragmento de um prato de porcelana, com as palavras "Made in Germain" inscritas. 

"Aparentemente, durante a Segunda Guerra Mundial, os nazis decidiram construir esconderijos para os altos dirigentes germânicos em caso de derrota. Os locais eram quase sempre inacessíveis e situavam-se em desertos, nas montanhas, falésias ou no meio de selvas, como é o caso desta nova descoberta", afirmou o chefe da equipa de arqueólogos, Daniel Schavelzon, acrescentando que aquele local tem a virtude de permitir estar no Paraguai em menos de dez minutos.

Este esconderijo, porém, não chegou a ser utilizado, até porque, depois da Segunda Guerra Mundial terminar, o Presidente Juan Perón permitiu que milhares de nazis e fascistas croatas e italianos se instalassem na Argentina. Entre eles destacava-se Adolf Eichmann, uma das figuras que liderou o Holocausto e que, em 1960, foi encontrado na Argentina por um grupo de informações israelita, sendo depois executado em Israel pelos seus crimes.