Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Rand Paul, o candidato conservador que quer pôr Washington na ordem

  • 333

Drew Angerer/EPA

É o segundo membro do Partido Conservador a apresentar-se na corrida para as primárias das presidenciais norte-americanas. O senador Rand Paul diz que a América deve voltar-se para dentro para resolver os seus problemas, acusando os democratas, mas também os membros do seu próprio partido, de criarem uma máquina que devora as liberdades dos cidadãos.

"A máquina de Washington que devora as nossas liberdades e invade todas as áreas das nossas vidas tem de ser travada", afirmou o senador conservador Rand Paul, durante o discurso no comício em Louisville na terça-feira, onde anunciou que avança para as primárias norte-americanas.

É o segundo candidato a candidato do Partido Conservador às presidenciais norte-americanas de 2016. Surge em terceiro lugar nas sondagens sobre os potenciais candidatos do seu partido que lhe dão 12% dos votos (na frente está Jeb Bush com 16%).

Apresentando-se contra o establishment de Washington e descrevendo-se como um "conservador realista", Rand Paul tem procurado com o discurso de um liberalismo mainstream - que conjuga a defesa dos direitos civis com a oposição às intervenções no estrangeiro e o apoio aos valores da família - atrair novos eleitores para os conservadores entre os jovens.

Partilha das posições generalizadas entre os conservadores contra o aborto e as mudanças do sistema de Saúde implementadas por Obama, mas as suas críticas abarcam também os membros do seu próprio partido.

"A culpa é de ambos os partidos e de todo o sistema político", acrescentou nas suas críticas a uma classe política que considera contribuir para uma "Washington disfuncional", que dá lugar ao aumento da dívida pública e à redução das liberdades individuais.



Passar a construir as pontes "em casa"

"Vamos parar de construir pontes noutros países e usar esse dinheiro para construir pontes aqui em casa", afirmou, ao mesmo tempo que prometeu, "com uma mão na Constituição e outra na Carta dos Direitos", travar as operações de vigilância que a agência NSA efetua sobre os cidadãos.

Cirurgião oftalmológico atualmente com 52 anos, Rand Paul foi eleito em 2010 como senador de Kentucky nas fileiras do novo movimento conservador (dentro dos conservadores) Tea Party.

A escutar o seu discurso no comício em Louisville encontrava-se o seu pai, o antigo congressista do Texas Ron Paul, que nas duas últimas primárias, em 2008 e 2012, tentou sem sucesso chegar a candidato do Partido Conservador às presidenciais.

À terceira será a vez do filho tentar. Rand afirmou candidatar-se com o auxílio "de Deus" e dos "amantes da liberdade de todo o lado". Depois do anúncio da candidatura, já partiu esta quarta-feira para a sua primeira viagem de campanha, que até sábado passa pelos estados de Nova Hampshire, Carolina do Sul, Iowa e Nevada.