Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Presidente da Namíbia ganha prémio africano de €4,5 milhões

  • 333

O Presidente da Namíbia, Hifikepunye Pohamba, foi o vencedor do prémio Mo Ibrahim, que distingue líderes africanos

KIMMO MANTYLA/AFP/Getty Images

O prémio reconhece a boa governação de Hifikepunye Pohamba - que cumpre o seu último mês no cargo e se prepara para celebrar o 80.º aniversário - e contempla os líderes africanos que desenvolveram os seus países, tiraram as pessoas da pobreza e abriram caminho à prosperidade sustentável e justa".

Hifikepunye Pohamba foi anunciado vencedor do prémio Mo Ibrahim de liderança africana, numa cerimónia realizada esta segunda-feira, em Nairobi.

O prémio reconhece a boa governação do Presidente da Namíbia - que cumpre o seu último mês no cargo e se prepara para celebrar o 80.º aniversário - e corresponde a cinco milhões de dólares (€4,5 milhões) que serão entregues ao líder ao longo de dez anos, passando depois a receber 200 mil dólares anuais (€179 mil).

Atribuída pela quinta vez pela fundação de Mohamed "Mo" Ibrahim, antigo empresário de comunicações móveis e bilionário sudanês-britânico, destina-se apenas a chefes de Estado ou do Governo que tenham cessado funções nos últimos três anos, após terem sido democraticamente eleitos.

A fundação publicou no seu site que "o prémio Ibrahim reconhece e contempla os líderes africanos que desenvolveram os seus países, tiraram as pessoas da pobreza e abriram caminho à prosperidade sustentável e justa".

Nelson Mandela, ex-Presidente da África do Sul, foi um dos destinatários deste importante galardão, assim como o ex-Presidente de Cabo Verde, Verona Rodrigues Pires, que foi o último vencedor do galardão, há quatro anos.

Quando questionado sobre o motivo de tão poucos líderes terem sido distinguidos desde que o prémio foi criado, em 2007, Ibrahim justificou-se: "É um prémio que assinala a excelência na liderança. Não vamos baixar os nossos padrões." E concluiu: "Se este prémio fosse atribuído a presidentes e líderes europeus, quantos... teriam ganho este prémio nos últimos oito anos?"