Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Polícia mexicana acusada de mais um massacre de civis

  • 333

Getty

A polícia federal mexicana terá abatido pelo menos 16 civis em janeiro no estado de Michoacán, segundo dados avançados pela revista "Proceso".

Pelo menos 16 civis terão sido abatidos pela polícia federal mexicana em janeiro em Apatzingán, no estado de Michoacán, segundo uma investigação da jornalista Laura Castellanos divulgada na revista "Proceso" e no site Aristegui Noticias.

Os artigos são baseados em 39 testemunhas anónimas, vídeos e registos de áudio, que indicam que as vítimas não estariam armadas quando a polícia federal abriu fogo a 6 de janeiro.

Anteriormente, as autoridades mexicanas anunciaram que 9 pessoas haviam morrido, devido a "fogo amigo", quando antigos membros de uma milícia rural entraram em confrontos com a polícia federal em Apatzingán, num incidente em que foram detidas 44 pessoas.

Dados que foram agora desmentidos pelos artigos, que já levaram à abertura de uma investigação sobre o sucedido.

"Matem-nos como cães"

A jornalista refere que num primeiro momento os agentes da polícia dispararam sobre 100 pessoas que se estavam a manifestar em frente à sede da autarquia, enquanto alguns polícias gritavam "matem-nos como cães".

Horas mais tarde, a polícia voltou a abrir fogo, dessa feita sobre dezenas de viaturas que transportavam pessoas que estavam a perseguir as viaturas da polícia, na esperança de conseguir libertar os seus companheiros detidos.

A jornalista refere que os civis não teriam em seu poder mais do que paus, para atacar a polícia.



Michoacán é um dos estados mexicanos amplamente afetados pelo narcotráfico.



Este novo caso, ocorre após no ano passado 43 estudantes terem sido mortos supostamente devido à ação da polícia municipal ligada a um cartel de narcotráfico.