Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Polícia americana matou mais um negro desarmado

Rumain Brisbon, de 34 anos, faleceu no local, após ter sido alvejado pela polícia

É mais um caso que promete atear os protestos contra a atuação da polícia norte-americana, em especial relativamente ao modo como age perante as minorias étnicas. Um polícia branco matou a tiro um negro desarmado, suspeito de narcotráfico, em Phoenix, capital do estado do Arizona.

Um polícia branco de Phoenix, Arizona, matou a tiro um negro desarmado, suspeito de narcotráfico, quando ambos se encontravam, supostamente, a lutar. O caso, ocorrido na terça-feira à noite, promete alimentar ainda mais a onda de indignação contra a violência policial nos Estados Unidos.

As autoridades dizem que o agente pensou ter sentido uma arma no bolso de Rumain Brisbon, o homem com quem lutava, o que o levou a disparar no momento em que acreditou que ele estava a tentar sacá-la. O homem alvejado, de 34 anos, ainda foi assistido por paramédicos, mas morreu no local. O agente não ficou ferido. O objeto no bolso de Brisbon era, afinal, um frasco de comprimidos.

O advogado que representa a família da vítima indicou que há várias testemunhas que desmentem a versão policial e tencionam levar o caso até às últimas consequências.

Polícia fora alertado de que o suspeito estaria a vender droga 

A polícia de Phoenix diz que duas pessoas terão indicado ao agente policial que os ocupantes de um veículo que se encontrava junto a uma loja de conveniência estavam a vender droga. Segundo o comunicado da polícia, o agente, que tem sete anos de serviço no departamento, pediu reforços e julgou ter visto Brisbon a retirar algo do assento traseiro do Cadillac no qual circulava.

Ainda segundo o mesmo relato, o polícia mandou por várias vezes Brisbon mostrar as suas mãos, antes de ele as ter colocado na cintura e começado a fugir. Por essa altura, uma residente local abriu a porta de sua casa, para onde ambos os homens entraram envolvendo-se numa luta. "O polícia acreditou ter sentido o cabo de uma arma, enquanto agarrava a mão do suspeito no bolso" .

"O agente foi incapaz de manter o controlo sobre a mão do suspeito durante a luta. Temendo que Brisbon tivesse uma arma no bolso, disparou duas vezes, atingindo Brisbon no peito", refere ainda o comunicado da polícia. Mais tarde veio a descobrir-se que a vítima apenas tinha no bolso um frasco de comprimidos.