Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Perigo de alastramento do ébola ainda é "muito elevado"

Reuters

O responsável da missão das Nações Unidas para a Africa Oriental considera que a possibilidade de propagação do ébola para outras regiões do mundo ainda não está afastada.  

O perigo do alastramento do ébola a diversas regiões do mundo ainda é "muito elevado", afirmou esta segunda-feira o responsável pela missão das Nações Unidas para a África Oriental, Tony Banbury, à BBC.

As declarações foram efetuadas a partir de Freetown, a capital da Serra Leoa, que se mantém como uma das zonas mais afetadas pelo surto e onde o responsável da ONU considera que ainda continuam a faltar os meios necessários para fazer frente à situação.

Banbury não esclareceu se foram ou não alcançados os objetivos definidos para esta data, relativamente à proporção de pessoas a receber tratamento e de se assegurar que os enterros dos corpos altamente contagiosos ocorram em condições de segurança.

Considerou que cerca de 70% dos objetivos estão a ser alcançados na "grande maioria" das áreas dos três países mais afectados por este surto de ébola: Guiné-Conacri, Serra Leoa e Libéria.

"Mas em algumas zonas", referiu, "incluindo aqui na Serra Leoa - especialmente na capital Freetown e na cidade Port Loko, temos pouco tempo. E é nestas zonas em que precisamos mesmo de nos focar nos nossos meios e capacidade".

Os últimos dados da Organização Mundial de Saúde indicam que perto de 7 mil pessoas morreram de ébola e mais de 16 mil foram infetadas neste surto.