Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Pedidos mais de 19 anos de prisão para marido da infanta Cristina

A infanta Cristina escapa ao julgamento, mas o marido Inaki Urdangarin arrisca uma pesada pena de prisão

RAFA RIVAS/AFP/GettyImages

A irmã mais nova do rei de Espanha escapou à acusação do Ministério Público, mas ser-lhe-ão reclamados 587.413 mil euros de indemnização por uso indevido do dinheiro público desviado pelo marido.

Iñaki Urdangarín, marido da irmã mais nova do rei de Espanha, é acusado pelo Ministério Público de ter desviado quase 6,2 milhões de euros de dinheirtos públicos. Infanta não foi acusada mas terá de repor mais de meio milhão de euros.

A acusação foi conhecida esta terça-feira. O departamento anticorrupção do Ministério Público espanhol diz que Iñaki foi responsável por engendrar um esquema de acesso direto a fundos dos cofres públicos das ilhas Baleares, Comunidades Valenciana e de Madrid, usando a Fundação Nóos e pede que seja castigado com 19 anos e meio de prisão efetiva.

A infanta Cristina escapou à acusação do MP espanhol, mas ser-lhe-ão reclamados 587.413 mil euros de indemnização, por uso indevido do dinheiro desviado pelo marido.

A acusação a Iñaki Urdangarín foi feita pelo juiz de instrução do caso Nóos, José Castro, e envolve também um seu ex-sócio, Diego Torres, para quem são pedidos 16 anos e meio de prisão. A dupla concebeu e liderou um esquema empresarial através do qual acedeu de forma "direta e imediata" aos fundos da administração pública, iludindo os requisitos exigidos pelas normas de contratação. A Fundação Nóos era gerida por Urdangarín.

Mesmo que não recaiam sobre a infanta quaisquer suspeitas de que tenha cometido algum delito, a acusação sustenta que terá obtido benefício dos fundos alegadamente desviados pelo marido, nomeadamente através a empresa Aizoon - detida em partes iguais por ambos. De igual modo Ana Maria Tejeiro, mulher de Diego Torres, deverá pagar um milhão e 144 mil euros de indemnização.