Expresso

Siga-nos

Perfil

Perfil

Internacional

Paulo Portas está em Caracas para o funeral de Chávez

  • 333

Presidente venezuelano "vai ser embalsamado, como Ho Chi Min, Lenine e Mao Tsé Tung". Ministro dos Negócios Estrangeiros está em Caracas para representar Portugal no funeral de "um amigo de Portugal".

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas, chegou, esta quinta-feira, a Caracas onde representará o Estado português no funeral do Presidente venezuelano, Hugo Chávez, marcado para hoje.

Paulo Portas chegou ao Aeroporto Internacional Simón Bolívar de Maiquetía, a 20 quilómetros a norte da capital, pelas 16h locais (20h30 de Lisboa), partindo de seguida para um hotel da capital, onde chegou pelas 19:00 locais (00h30 de sexta-feira em Lisboa), uma viagem demorada devido ao intenso trânsito de Caracas.

O ministro português deverá ser hoje recebido por uma comitiva oficial no hotel pelas 7h30 locais (12h em Lisboa), a qual acompanhá-lo-á até à Academia Militar, onde se encontra em câmara ardente o corpo do mandatário venezuelano.

À chegada, o chefe da diplomacia de Portugal remeteu para hoje eventuais declarações aos jornalistas.

Chávez embalsamado

O vice-Presidente venezuelano, Nicolás Maduro, anunciou na quinta-feira que o corpo de Hugo Chávez "vai ser embalsamado, como Ho Chi Min, como Lenine, como Mao Tsé Tung".

Maduro disse também que após as cerimónias fúnebres, o corpo estará exposto ao público "pelo menos mais sete dias", no Quartel da Montanha, na zona ocidental de Caracas, de onde Chávez comandou o golpe de Estado de 4 de fevereiro de 1992, contra o então Presidente, Carlos Andrés Perez.

Entre as presenças internacionais confirmadas no funeral estão os presidentes do Irão, Mahmud Ahmadinejad, da Guiné-Equatorial, Teodoro Obiang, e da Bielorrússia, Alexandr Lukashenko.

A televisão venezuelana anunciou a chegada, na quinta-feira, de um dos aliados mais próximos de Chávez, o Presidente cubano, Raul Castro. Também estão em Caracas os chefes de Estado do México, Enrique Peña Nieto, do Chile, Sebastián Piñera, e do Brasil, Dilma Rousseff. A comitiva de Rousseff integra igualmente o ex-Presidente brasileiro Luis Inácio Lula da Silva e o ministro dos Negócios Estrangeiros, António Patriota.

Hugo Chávez morreu na terça-feira, em Caracas, quase três meses depois de ter sido operado pela quarta vez a um cancro, a 11 de dezembro de 2012, em Havana, e quase cinco meses depois de ter sido reeleito para o seu terceiro mandato, em 7 de outubro.

Chávez, que morreu com 58 anos, regressou à Venezuela em 18 de fevereiro, ficou internado no Hospital Militar de Caracas e não chegou a tomar posse como Presidente, ficando o lugar assegurado pelo vice-presidente, Nicolás Maduro, numa decisão autorizada pela Justiça venezuelana apesar dos protestos da oposição.

Nicolás Maduro, vice-presidente da Venezuela que assumiu a liderança após a morte de Hugo Chávez, vai ser empossado hoje como presidente interino e dentro de 30 dias deverá convocar eleições.