Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Parlamento britânico quer recrutar mais mulheres espiões

  • 333

O relatório apresentado ao Comité de Informações e Segurança, recomenda que se recrutem mais mulheres espiões para reforçar o combate às ameaças à segurança nacional.  

O relatório de trabalho realizado pelas três agências britânicas de Informações e Segurança [GCHG, SIS e MI5], defende uma maior participação de representantes do género feminino nos quadros das agências de informações. De acordo com o relatório, este reforço da participação de mulheres ajudará a proporcionar "uma melhor resposta às ameaças que a nossa segurança nacional enfrenta", nomeadamente no combate ao terrorismo.

O que o comité realmente procura são mulheres com vidas normais e não apenas recém-licenciadas. "As mulheres e mães de meia-idade ou no meio das suas carreiras, que levaram alguns anos a educar os seus filhos", podem ser passíveis de recrutamento.

"Há um forte compromisso por parte das organizações para promover uma maior diversidade de géneros", acrescenta o relatório, "mas ainda há espaço para melhorar". O relatório faz recomendações às agências para serem seguidas nos próximos 12 meses.

O relatório declara ainda que, tendo em conta a relação entre as agências de informação e segurança e os países, o recrutamento de agentes do sexo feminino deve ser feito de forma coordenada.