Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

OMS alerta: vírus do Ébola ainda é uma preocupação

Mais de 17.800 pessoas foram infectadas pelo vírus. contabilizam-se 6.331 mortos na Guiné-Conacri, na Libéria e na Serra Leoa

TRIBOUILLARD/AFP/Getty Images

O vírus de Ébola, que já matou milhares de pessoas na África Ocidental, ainda "continua à frente" dos esforços da Organização Mundial de Saúde, diz a diretora Margaret Chan.

Margaret Chan, diretora da OMS, diz que a situação melhorou nalgumas partes dos países mais afetados, mas preveniu contra a negligência da sua importância. O risco para o mundo "continua a existir" enquanto o surto persistir, afirma. Em entrevista à BBC, Chan disse que a OMS e a comunidade internacional não conseguiram agir com a rapidez suficiente.

Chan faz referência aos 6.331 mortos na Guiné-Conacri, na Libéria e na Serra Leoa. Segundo dados da OMS, mais de 17.800 pessoas foram infectadas pelo vírus. "Na Libéria, já existem alguns progressos, especialmente em Lofa [perto de onde o surto começou] e da capital", assegura Margaret Chan.

Os casos que ocorreram recentemente na Guiné e na Serra Leoa foram em menor número do que há cerca de dois meses, mas a diretora da OMS sublinhou que "ainda são em grande número". O objetivo da organização de saúde das Nações Unidas é "zero casos".

Os números oficiais não traduzem a dimensão do surto. Em agosto, a OMS alertou para o facto de os números serem "muito subestimados", uma vez que as pessoas não informavam os casos de doentes infetados pelo vírus nem sobre as mortes causadas pelo ébola.

Segundo Chan, "a qualidade dos dados melhorou desde então, mas ainda existe trabalho a ser feito". É fundamental para o combate ao contágio assegurar que as comunidades compreendam a febre hemorrágica. 

Margaret Chan defendeu não ser justo argumentar que se tenha falhado nas previsões sobre o desenvolvimento da doença nos três países da África Ocidental, reconhecendo que, em retrospetiva, "poderíamos ter dado uma resposta muito mais consistente".