Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Obama culpa George W. Bush pelo "rápido" crescimento do Estado Islâmico

  • 333

Obama afirmou que, com o tempo, vão retirar "lentamente" o autodenominado Estado Islâmico do Iraque

FOTO LARRY DOWNING / REUTERS

Para o Presidente dos Estados Unidos, o crescimento do autodenominado Estado Islâmico foi motivado pela invasão do Iraque, em 2003, ordenada por George W. Bush.

Não é novidade que o autodenominado Estado Islâmico (Daesh) tem tido um crescimento significativo. A internet tornou-se uma ferramenta poderosa para o grupo extremista recrutar novos combatentes e tornar-se mais popular. Mas este crescimento tem outro motivo, pelo menos para Barack Obama: o combate à Al-Qaeda e a invasão do Iraque feita pelos norte-americanos, em 2003, decisão tomada pelo antigo Presidente George W. Bush.

"O Estado Islâmico teve um crescimento direto através da nossa invasão e é um exemplo de uma consequência não-intencional. É por isso que devemos sempre apontar antes de disparar", declarou Obama em entrevista ao canal de televisão Vice News.

"Como é que os paramos?", foi uma das perguntas feitas a Obama durante a entrevista realizada esta segunda-feira. "Temos 60 países que fazem parte da coligação internacional. Vamos lentamente retirar o Estado Islâmico do Iraque. Estou confiante de que o faremos", disse Obama.

No entanto, o Presidente dos Estados Unidos admite estar preocupado com o facto de que os sunitas - em todo o mundo, mas principalmente na Líbia e no Íemen - possam ser afetados pela derrota do grupo extremista. "Estamos a lidar com jovens que cresceram sem educação e objetivos, que pensam que a única forma de serem aceites e obterem respeito e poder é sendo um combatente. Esta é a luta mais difícil que vamos travar", acrescentou.

Em relação a soluções para evitar que mais jovens se convertam a grupos terroristas, Obama indica um possível caminho, que abrange mais educação e desenvolvimento. "Este é um problema e não podemos continuar a pensar em terrorismo e segurança separados de diplomacia, desenvolvimento, educação. Todos estes aspetos são considerados leves, mas são muito importantes e temos que pensar nisso".

O conflito entre os EUA e o Iraque teve início no dia 23 de março de 2003, terminando oito anos depois, no dia 15 de dezembro de 2011. O motivo da invasão dado por George W. Bush foi que o Iraque estava a desenvolver armas de destruição maciça - nucleares, químicas e biológicas.