Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

O trailer de Putin: revelações de um resgate e de uma anexação

  • 333

O Presidente russo é a personagem principal de um trailer digno de tela de cinema, no qual é revelada a longa noite em que foi decidida a anexação da Crimeia e planeado o resgate "por terra, por mar ou pelo ar" do ex-Presidente ucraniano, Viktor Ianukovich, atualmente procurado pela Interpol.

Num documentário a estrear no canal estatal Rússia-1, Vladimir Putin revela o momento em que deu ordens para a anexação da Crimeia e explica como foi planeado o resgate do deposto Presidente ucraniano, Viktor Ianukovitch. O canal passou este domingo um trailer com menos de um minuto. Putin é a personagem principal da reunião secreta onde "tudo foi decidido".

As tropas russas estavam prontas para lutar e salvar Ianukovitch "por terra, por mar ou pelo ar", pois "ele teria sido aniquilado", explica Putin no curto trailer do documentário simbolicamente intitulado "Crimeia. Caminho de Volta a Casa", a estrear no canal Rússia-1 sem data definida. É uma das poucas vezes que o Presidente russo discute abertamente a anexação da península ucraniana.

Putin explica que se reuniu com os chefes dos serviços de segurança na noite de 22 para 23 de fevereiro de 2014, até às sete da manhã, para planear o resgate de Ianukovitch: "Maquinaria pesada estava montada para não se perder tempo com conversas". No fim do encontro, o líder russo confessa ter dito aos seus colegas que "é preciso começar a trabalhar para devolver a Crimeia à Rússia".

Ianukovitch acabou por fugir para a Rússia no final de fevereiro, quarto mês da revolução de Kiev, e que se saiba não voltou a pisar o terreno ucraniano. O ex-Presidente ficou conhecido por ter uma mansão de luxo com sanitas de ouro e por ser um grande seguidor de Putin.

Quatro dias depois da reunião secreta, soldados não identificados invadiram o Parlamento da Crimeia e os deputados elegeram um novo Governo. A península foi formalmente anexada à Rússia a 18 de março, após um referendo esmagadoramente favorável, iniciando uma jornada de fortes condenações internacionais.

Pouco depois da anexação da Crimeia deflagrou o conflito no leste da Ucrânia, entre as tropas de Kiev e os separatistas pró-russos, que custou a vida a mais de seis mil pessoas. O Ocidente acusa o Kremlin de apoiar e incentivar os separatistas, mas Moscovo nega qualquer envolvimento.