Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

O sucesso de "Blurred Lines" resultou em prejuízo para Pharrell Williams e Robin Thicke

  • 333

Músicos de "Blurred Line" desmentiram sempre o plágio do êxito "Got To Give Ip Up"

FOTO PHIL MCCARTEN/ REUTERS

Músicos foram condenados a pagar 6,8 milhões de euros às filhas de Marvin Gaye, por terem plagiado o êxito "Got To Give It Up" de 1977.

Pharrell Williams e Robin Thicke foram condenados esta terça-feira a pagar 7,4 milhões de dólares (cerca de 6,8 milhões de euros) às filhas do cantor Marvin Gaye, por terem plagiado a música "Got To Give It Up", que data de 1977, para criarem o hit de 2013, "Blurred Lines" (oiça ambas as músicas no fim do texto).

O veredito foi dado por um tribunal de Los Angeles, depois de oito dias de julgamento e dois de deliberação para estabelecer se existia alguma semelhança entre as duas músicas. A conclusão foi que existiu uma infração, dado que foram copiadas "partes" da canção de Marvin Gaye.

De acordo com o jornal britânico "The Guardian", Nona Gaye - uma das filhas do cantor falecido em 1984 - começou a chorar ao ouvir o veredito e, no final, afirmou que se sentia "livre de Pharrell Williams e Robin Thicke". 

O "The Guardian" adianta ainda que o advogado da família Gaye, Busch, acusou os dois músicos de estarem a mentir sobre a forma como "Blurred Lines" foi criada. Durante o julgamento, Busch explicou que as músicas são idênticas em relação à utilização do baixo, teclados e estrutura. O jornal "Los Angeles Times" adiantou que um especialista musical encontrou semelhanças em oito elementos das canções, não especificando quais.

Mas a família de Gaye quer ir mais além. Pretende retirar a canção do mercado.

Para Thicke, existem várias canções semelhantes 

Durante o julgamento, Thicke declarou ao júri - composto por cinco mulheres e três homens - que não estava presente quando "Blurred Lines" foi escrita. A CNN afirma que o cantor demonstrou ainda ao júri que muitas canções podem facilmente ter semelhanças, ainda que inadvertidamente, ao cantar músicas como "With Or Without You" (U2), "Let It Be" (The Beatles), "Forever Young" (Alphaville), "No Woman No Cry" (Bob Marley) e "Man In The Mirror" (Michael Jackson). Este argumento, porém, não convenceu o júri.

Já Pharrell Wiliams referiu que escreveu a música em apenas uma hora e que se inspirou nas canções de Marvin Gaye, que fazem parte da "banda sonora" da sua vida. Mas ressalvou que "a última coisa que se pretende fazer enquanto criador é tirar algo a outra pessoa", acrescentou o cantor.

Para o músico de 41 anos, "Blurred Lines" contém apenas uma evocação da "soul" dos anos 70.

A canção dos dois músicos de R&B é um sucesso e já arrecadou mais de 16 milhões de dólares (cerca de 14 milhões de euros) desde o seu lançamento. De acordo com a cadeia televisiva CNN, Pharrell Willimans lucrou 5,2 milhões de dólares (4,8 milhões de euros) com "Blurred Lines", enquanto Robin Thicke ganhou 6 milhões (5,5 milhões de euros). O cantor T.I, que também participou na música, ficou livre de qualquer acusação, assim como a editora Interscope Records.