Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Número de mortos de sismo no Nepal já ultrapassa 3700

  • 333

O mais recente balanço oficial refere 3617 mortes e mais de 6500 feridos

ADNAN ABIDI/ REUTERS

O balanço é terrível mas ainda provisório, sendo expectável que o total de mortes continue a aumentar à medida que as equipas de socorro conseguem chegar a povoações mais remotas, nas montanhas. Contabilidade dos feridos vai além de 6500.

Sem mãos a medir, as equipas de socorro prosseguem os trabalhos de resgate, tentando encontrar sobreviventes por entre os escombros deixados pelo sismo de sábado, no Nepal. O mais recente balanço oficial refere 3726 mortes e mais de 6500 feridos, en quanto a Unicef fez um alerta dizendo que cerca de um milhão de crianças estão a precisar de "ajuda urgente".

À medida que for sendo possível chegar a povoações mais remotas, em áreas montanhosas, o Centro Operacional de Emergência teme que o saldo se agrave drasticamente.

As autoridades falam num sismo com magnitude de 7,8 na escala de Richter. Só na capital do país, Katmandu, milhares de pessoas estão a passar as noites em acampamentos entretanto instalados em vários pontos da cidade. Muitos perderam as suas casas, mas há também quem não queira regressar por recear que a terra volte a tremer.

Com todos os centros médicos, públicos e privados, sem capacidade para receber mais gente, os feridos não podem ser levados para lado nenhum. "Os hospitais estão lotados. Quem precisa de cuidados médicos está a ser atendido na rua", explicou o embaixador do Nepal na Índia, citado pelo "El Pais".

A dimensão da catástrofe levou o Governo a considerar estar perante uma crise nacional, apelando a que todos os setores da sociedade ajudem. A China e a Índia - países também afetados - anunciaram já o envio de recursos humanos e ajuda humanitária.

Este é o pior sismo na história do Nepal, desde que um outro, há 80 anos, causou a morte a 8500 pessoas.