Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Nepal afasta possibilidade de encontrar mais sobreviventes

  • 333

Os sucessivos deslizamentos de terra e as más condições climatéricas têm dificultado as operações de busca e salvamento.

Hemnata Shrestha/EPA

O paradeiro de milhares de pessoas, que viviam em zonas remotas, é ainda desconhecido. Cerca de mil cidadãos europeus continuam também desaparecidos. Ram Sharan Mahat, ministro das Finanças, diz que o país continua à espera de receber "as dezenas de milhões de dólares" prometidos por doadores estrangeiros.

Helena Bento

Jornalista

As autoridades nepalesas consideraram este sábado ser impossível encontrar mais sobreviventes do sismo de magnitude 7.9 na escala de Richter que há uma semana abalou o país e provocou, pelo menos, 6621 mortos e perto de 14 mil feridos.

"Já passou uma semana do desastre. Estamos a fazer o nosso melhor nas operações de resgate, mas agora penso que não haverá possibilidades de encontrar sobreviventes sob os escombros", disse Laxmi Prasad Dhakal, porta-voz do Ministério do Interior, em declarações à agência AFP. 

O paradeiro de milhares de pessoas, que viviam em zonas remotas, é ainda desconhecido. Cerca de mil cidadãos europeus continuam também desaparecidos.

As operações de busca e salvamento prosseguem em vários distritos, entre os quais Dhading, Rasuwa e Sindhupalchok, informou um dos coordenadores das operações, Hemanta Pal, citado pelo "The Guardian". O Governo nepalês já avisou que os mortos podem ascender aos 10 mil. 

Estima-se que cerca de 100 pessoas tenham morrido na Índia, Tibete e Bangladesh, países que também foram afetados pelo sismo.

O Governo nepalês já reconheceu que não estava preparado para o desastre e tem apelado continuamente à ajuda externa. Várias equipas de salvamento, bem como mantimentos e medicamentos, têm chegado a Katmandu, capital do Nepal.

Mantimentos estes que, segundo o ministro das Finanças do país, Ram Sharan Mahat, não são suficientes. "Precisamos de cereais, sal e açúcar", disse à Associated Press (AP), acrescentando que o país continua também à espera de receber as dezenas de milhões de dólares prometidos por doadores estrangeiros. "Nem um único dólar foi depositado nas contas do Governo. Não digo que esse dinheiro não vá chegar, mas até agora todas as operações têm sido suportadas pelos próprios recursos do Governo".

Além disso, continua a ser urgente o envio de 400 mil tendas, número que contrasta fortemente com as cerca de 29 mil que foram disponibilizadas até ao momento, disse à AP o ministro da Informação do país, Minendra Rijal.

Os  sucessivos deslizamentos de terra e as más condições climatéricas têm dificultado as operações de busca, para as quais estão apenas disponíveis 20 helicópteros.