Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Motards pró-Putin querem ir até Berlim no aniversário da vitória sobre Hitler. A Polónia protesta

  • 333

Os 'lobos' cultivam uma imagem rebelde, apesar de serem amigos de Putin, na imagem com o líder do grupo motard, Alexander Zaldostanov, em julho de 2010, no dia em que chegou a guiar uma moto ao lado deles

ALEXEY DRUZHININ/AFP/Getty Images

O Presidente russo é próximo dos Lobos Noturnos, inspirados nos Hell's Angels norte-americanos, e já andou ao lado deles.

Luís M. Faria

Jornalista

Um grupo de motociclistas russos que se propõe reproduzir o trajeto do Exército Vermelho no final da II Guerra Mundial está a causar polémica em vários países europeus. Entre eles a Polónia, que considera a ideia uma provocação e está a ponderar se concede vistos aos participantes. Motivo: a forte associação do grupo ao Presidente Vladimir Putin e à recente anexação da Crimeia. Os Lobos Noturnos são um grupo que se apresenta como se fosse o equivalente dos Hell's Angels norte-americanos. Cultivam uma imagem rebelde, apesar de serem amigos de Putin, que chegou a guiar uma moto ao lado deles em 2010 - no então território ucraniano da Crimeia. Quando começaram os distúrbios nas zonas pró-russas do leste da Ucrânia, eles assumiram uma posição claramente nacionalista, de apoio ao Presidente. Chamam ao regime ucraniano "uma pseudodemocracia mercenária". Isso explica a resistência de governos como o polaco à eventual passagem da caravana pelos seus países. Os Lobos Noturnos não se deixam dissuadir. Negando que a planeada viagem tenha objetivos políticos, dizem que apenas querem homenagear os heróis e as vítimas da II Guerra Mundial. Tencionam partir da Rússia a 25 de abril e chegar a Berlim no dia 9 de maio, aniversário do triunfo soviético. Garantem que não tencionam criar problemas, mas se os atacarem serão forçados a responder.
Os Lobos Noturnos são um grupo que se apresenta como se fosse o equivalente dos Hell’s Angels norte-americanos

Os Lobos Noturnos são um grupo que se apresenta como se fosse o equivalente dos Hell’s Angels norte-americanos

Alexander Aksakov/Getty Images

O líder do grupo, Alexander Zaldostanov, de alcunha 'O Cirurgião', admite que ele próprio poderá não seguir na viagem dado encontrar-se na lista de personagens russas sujeitas a sanções por países ocidentais. Mas acha que os polacos não têm razão para não o querer lá. Afinal, explica, houve que polacos participaram na libertação da Europa. "A nossa ação provavelmente desagrada àqueles polacos que descendem de polícias do tempo da guerra e supervisores dos guetos judeus", acrescenta Zaldostanov. Um presidente da câmara polaco responde dizendo que os Lobos Noturnos são um circo. "Mas não são os meus macacos", conclui.   Luís M. Faria