Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Morreu um dos criadores dos "Simpsons"

  • 333

Sam Simon dedicou-se aos animais depois de lhe ter sido diagnosticado o cancro no cólon

MIKE BLAKE/ Reuters

O argumentista, de 59 anos, não resistiu a um cancro no colón. Morreu no domingo, mas deixou um legado na escrita para séries de comédia e desenhos. Licenciou-se em Psicologia, mas enveredou por outro caminho. Foi um dos criadores dos "Simpsons".

O argumentista Sam Simon, de 59 anos, morreu este domingo na sua casa em Los Angeles, vítima de um cancro no cólon, diagnosticado no final de 2012. O nome pode não lhe ser familiar, mas Sam Simon foi um dos criadores da série norte-americana "Os Simpsons", que há 25 anos acompanha muitas famílias.

O prognóstico do cancro deu-lhe inicialmente entre três a seis meses de vida, mas Sam manteve-se confiante e chegou a afirmar que, embora fosse um "pouco ilusório", achava que ia "ficar bem". O argumentista acabou por viver mais dois anos após saber que tinha um cancro. 

Ficará para a história como um escritor que, segundo alguns colegas de trabalho, mudou a forma de ver a escrita de séries televisivas, nomeadamente no registo de comédia. Para muitos, a sua escrita era "única" e Sam "um génio". Durante a sua carreira, recebeu nove prémios Emmy - sete deles em "Os Simpsons" e dois pelo seu trabalho em "Tracey Ullman Show"- e escreveu episódios para séries como "Taxi", "Cheers" e "Garry Shandling's Show", antes de participar na criação dos da famosa série de animação, que celebrou o seu 25º aniversário em 2014.

Um escritor "único", que deixa um legado 

Em 1989 e juntamente com Matt Groening e James L. Brooks, Sam Simon desenvolveu e escreveu alguns episódios para "Os Simpsons". Apesar de ter feito parte da série norte-americana apenas durante quatro anos, foi o suficiente para deixar nela a sua marca. "Estou aqui para dizer que a grande força criativa por trás dos "Simpsons" foi Sam Simon. O tom, a história e o nível de humor - foi tudo desenvolvido por ele", referiu Ken Levine, um dos argumentistas da série, citado pela revista "Variety".

Também esteve envolvido na parte criativa e de design da série. Talentos que, para Matt Groening, "vão deixar saudades".

Como argumentista, Sam participou ainda na série "60 minutos", em 2007 e, mais recentemente, foi consultor executivo da comédia do ator Charlie Sheen "Anger Management", entre 2012 e 2013.

Filantropo em prol de animais

Sam Simon crescera em Beverly Hills. Em adolescente, decidiu estudar em Stanford, nos Estados Unidos, e lá tornou-se no principal cartoonista da escola. Depois de se graduar em Psicologia, em 1977, começou a trabalhar para a produtora norte-americana Filmation Studios, primeiro como cartoonista e depois como argumentista.  

Nos últimos anos da sua vida, Sam dedicou-se aos animais. Assumiu-se como um amante e defensor destes seres vivos e criou uma fundação: a Sam Simon Foundation. "Penso que a minha paixão pelos animais baseia-se no conhecimento de que estas criaturas sentem e pensam, mas não falam e, por isso, estão dependentes de nós", salientou Sam, citado pela revista "Time".

De acordo com o jornal "Business Insider", Sam Simon doou 100 milhões de dólares (92 milhões de euros) a organizações que protegem os animais, como a PETA, Save the Children e outras instituições de solidariedade social. 

Os tributos e agradecimentos a Sam Simon inundaram as redes sociais, não só pelo seu talento indiscutível, mas também pela sua generosidade, destacando o seu genuíno carácter humanitário e em defesa dos animais. Para alguns, o seu coração era tão "grande" quanto o seu sentido de humor.