Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Ministro francês do Orçamento suspeito de fraude fiscal

Jérôme Cahuzac, ministro francês do Orçamento, é objeto de uma investigação judicial por ter tido uma conta secreta na Suíça. E acaba de apresentar a demissão. (atualização 18h10)

Daniel Ribeiro, correspondente em Paris

O Ministério Público francês abriu esta tarde um processo por "branqueamento de fraude fiscal" no qual é visado o ministro socialista do Orçamento, Jérôme Cahuzac, suspeito de ter tido, até 2010, uma conta secreta num banco suíço.

 

Os magistrados consideram que existem indícios suficientes para investigar as acusações contra o ministro lançadas há mais de três meses pelo site "Mediapart", dirigido pelo antigo diretor do jornal Le Monde, Edwy Plenel.

 

Mediapart tinha designadamente divulgado uma gravação de uma conversa telefónica atribuída a Cahuzac, na qual este evocava inquietação com a existência de uma sua conta no banco UPS, em Genebra.

 

O Ministério Público francês indicou que, depois de diversas investigações, a gravação é autêntica e que é "provavelmente" a voz de Cahuzac que nela se ouve.

"Já deveria ter-se demitido"

Jérome Cahuzac sempre desmentiu as acusações de "Mediapart". "Ele mente desde o princípio e deveria já ter-se demitido", declarou Edwy Plenel, esta tarde.

 

Segundo o site de informação, a alegada conta na Suíça do atual ministro foi fechada em 2010 e o dinheiro transferido, através de uma complexa montagem financeira, para Singapura.

 

A conta teria vários milhões de euros e teria sido alimentada por diversos laboratórios farmacêuticos. Cahuzac, que é milionário, foi cirurgião (medicina estética) antes de optar por uma carreira política.