Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Malala. "Estou de coração partido por causa do ato de terror em Peshawar"

Malala fala num ato bárbaro cometido a "sangue frio" contra "crianças inocentes que estavam na sua escola"

Nigel Waldron/Getty Images

Dois anos depois de o mundo ter conhecido Malala Yousafzai por ser vítima de um ataque dos talibã, a vencedora do Nobel da Paz condenou o atentado que esta manhã provocou pelo menos 141 vítimas no Paquistão.

"Estou de coração partido por este ato de terror e sem sentido em Peshawar", disse Malala sobre o atentado que esta terça-feira provocou pelo menos 141 mortos em Peshawar, no Paquistão.

Um ato bárbaro cometido a "sangue frio" contra "crianças inocentes que estavam na sua escola. Condeno este e outros atos atrozes e cobardes e quero que estejamos todos unidos" neste combate ao terror, acrescentou Malala em comunicado, lembrando a atuação das forças armadas e do governo do seu país, cujos esforços classifica de "louváveis". 

Recorde-se que a mais jovem vencedora do Nobel da Paz, foi vítima de um ataque talibã, em Outubro de 2012, quando tinha 15 anos. Tornou-se um símbolo de resistência à intolerância e ao fundamentalismo, razão pela qual foi agraciada com o Nobel da Paz - que recebeu no passado dia 10 em Oslo - juntamente com o indiano Kailash Satyarthi, premiado pelo seu trabalho em prol do seu trabalho pelos direitos das crianças.

Ahmed Rashid, um analista dos fenómenos do fundamentalismo islâmico, disse à BBC que os "insurgentes tinham várias razões para atacar a escola, uma das quais era a enviar uma mensagem para os adeptos de Malala, que defende a educação para mulheres e crianças".