Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Mais de mil pessoas no funeral da jovem que morreu a defender duas raparigas

Alguns dos presentes no funeral de Tugce choram durante o enterro da jovem

EPA/Redrik von Erichsen

Tugce Albayrak tinha 22 anos quando foi agredida. Ficou em coma e foi desligada das máquinas no dia em que fez 23.

Cátia Bruno

Cátia Bruno

Jornalista

Mais de mil pessoas juntaram-se na mesquita de Wächtersbach, nos arredores de Frankfurt, quarta-feira, para o funeral de Tugce Albayrak, a jovem que morreu vítima de uma agressão depois de ter tentado ajudar duas raparigas que estavam a ser assediadas. Segundo o jornal britânico "Guardian", que estava no local, cerca de 1500 pessoas juntaram-se às orações na mesquita, antes do corpo de Tugce ser transportado para o cemitério de Bad Soden-Salmunster, onde nasceu.

Muitos dos presentes na multidão levaram mensagens de apoio e fotos da jovem. Em casa, outros tantos alemães acompanharam a cerimónia, que foi transmitida por um canal de televisão.

No funeral da jovem de origem turca estiveram presentes o embaixador da Turquia na Alemanha e o governador do Estado de Hesse. A família e os amigos da jovem, que estudava para ser professora, transportaram o caixão, coberto por uma bandeira da Alemanha e uma da Turquia. "Ela era uma rapariga obstinada. Acredito que teria dado uma excelente professora", confessou a sua tia Reyhan Kes à agência noticiosa AP.

Uma agressão que abanou a Alemanha

Os alemães estão chocados com a história de Tugce, que muitos consideram já uma heroína. A jovem morreu no dia 15 de novembro, depois de ter sido agredida por um homem de 18 anos identificado como Sanel M. no parque de estacionamento de um McDonald's em Offenbach. A agressão está provavelmente relacionada com a intervenção de Albayrak um pouco antes, ajudando duas raparigas que estavam a ser assediadas nas casas-de-banho do restaurante.

O ataque deixou a jovem em coma. Duas semanas depois, os pais de Albayrak decidiram desligar a máquina que a mantinha viva, depois ter sido declarada a morte cerebral da jovem, no dia em que Tugce faria 23 anos. Sanel M. foi entretanto detido.

Uma petição online que pede que seja atribuída a medalha de mérito à jovem de 23 anos já reuniu mais de 170 mil assinaturas. A medalha não costuma ser atribuída a título póstumo, mas o porta-voz da Chanceler Angela Merkel declarou esta quarta-feira ver com bons olhos a ideia, que é da responsabilidade do Presidente Joachim Gauck. Este, na carta de condolências que enviou à família Albayrak, caracterizou a jovem como "um exemplo". "Quando outras pessoas olhavam para o lado, Tugce mostrou coragem exemplar e rectidão moral", declarou o Presidente.