Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Mail de mil migrantes chegaram nas últimas horas a Itália

  • 333

Não param de chegar migrantes à costa italiana. Esta quarta-feira, avança o jornal "La Reppublica", desembarcaram três barcos nos portos de Salerno, Augusta e Pozzallo. Uma estimativa da ONU aponta que até ao fim do ano cerca de 500 mil migrantes atravessem o Mar Mediterrâneo.

O número de migrantes a chegar à costa de Itália não para de aumentar. Na noite desta terça-feira e manhã de quarta-feira foram resgatadas 1211 pessoas. As autoridades garantem que os passageiros estão de boa saúde, mas que vão ser prestados os primeiros socorros por prevenção.

Ao porto de Salerno, no sul de Itália, chegaram 545 pessoas que foram resgatadas durante a noite. A bordo estavam crianças e várias mulheres em estado avançado de gravidez.  Agora, estão a ser transportados para o centro de acolhimento da região de Campânia.

Um cenário semelhante no porto de Augusta, na Sicília. Outras 446 pessoas foram colocadas em seguranças, depois de as autoridades as terem encontrado à deriva no Mediterrâneo. O navio militar "Betica" chegou ao início da manhã com "uma carga de esperança e dor, num comovente quadro", escreve o jornal italiano "La Reppublica". 

Também no porto de Pozallo, na Sicília, mais 220 migrantes desembarcaram. Foram salvos por uma unidade naval da polícia marítima a cerca de 40 quilómetros a norte da Líbia.

Os pedidos de ajuda são recebidos via satélite e dirigidos à Guarda Costeira italiana, sediada em Roma, onde é feito o controlo e a coordenação de todas as operações de resgate. As autoridades, avança o jornal "La Reppublica", estão preparadas para que nas próximas horas o número de migrantes continue a aumentar e consequentemente o desembarque em portos do país. 

Segundo estimativa das Nações Unidas, este ano, cerca de 500 mil migrantes vão atravessar o Mediterrâneo. Koji Sekimizu, secretário-geral da Organização Marítima Internacional, agência especializada das Nações Unidas, alerta que é necessário tomar medidas para controlar o tráfico humano.

"Se nada for feito, acho que este ano, provavelmente, meio milhão de migrantes vão atravessar o Mediterrâneo e potencialmente cerca de 10.000 morrerão no mar", disse Sekimizu, citado pelo canal de televisão indiano NDTV.

No domingo, um naufrágio no Mar Mediterrâneo causou centenas de mortos. Estavam a bordo cerca de 950 pessoas e sobreviveram apenas 28. É um dos mais trágicos acidentes na história da migração.