Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Magnata russo devolve medalha do Nobel

O Dr. James Watson, um dos descobridores da estrutura em hélice do ADN, tornou-se no primeiro vencedor a vender o seu prémio Nobel.

RICHARD CARSON/ REUTERS

O milionário russo que adquiriu em leilão a medalha do prémio Nobel de James Watson tenciona devolvê-la porque "a medalha deve ficar com a pessoa que a mereceu". 

James Watson, um dos vencedores do prémio Nobel da Medicina de 1962, tinha anunciado em novembro que tencionava vender a sua medalha de ouro para poder financiar projetos de investigação.

O leilão, organizado pela leiloeira Christie's, de Nova Iorque, rendeu 4.76 milhões de dólares (cerca de 3.85 milhões de euros). A medalha com 23 quilates de ouro passou a pertencer ao milionário russo Alisher Usmanova, um dos principais acionistas do clube de futebol Arsenal.

Alisher Usmanova afirmou que "a situação em que um cientista notável tem de vender a medalha que reconhece os seus feitos é inaceitável", escreve o jornal "The Guardian".

Usmanova diz que "o trabalho do Dr. Watson contribuiu para a investigação sobre o cancro, doença de que o meu pai morreu. É importante para mim que o dinheiro que gastei na medalha sirva para apoiar a investigação científica, e que a medalha fique com a pessoa que a mereceu".

James Watson recebeu o prémio Nobel da Medicina com Francis Crick e Maurice Wilkins pela descoberta da estrutura em dupla hélice do ADN. "É um dos maiores biólogos da Humanidade e o prémio pela descoberta da estrutura do ADN deve pertencer-lhe", acrescentou Alisher Usmanova.