Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Ligação à internet foi restabelecida na Coreia do Norte

O serviço de Internet na Coreia do Norte foi hoje restaurado após interrupções que duraram cerca de nove horas. Isto ocorreu após o anúncio dos EUA de que responderia "de forma proporcional" ao ataque informático à Sony Pictures Entertainment.

As principais páginas de Internet norte-coreana permaneceram desativadas durante cerca de nove horas até às 10:45 de hoje (01:45 em Lisboa), abrangendo dois dos meios oficiais de Pyongyang: o portal da agência estatal de notícias KCNA e do diário Rodong Sinmun, relata a imprensa sul-coreana.

As duas páginas voltaram a estar acessíveis na manhã desta terça-feira (madrugada em Lisboa) e não foram registadas mais interrupções. O portal de propaganda "Uriminzokkiri" ou o diário "Choson Sinbo", da comunidade norte-coreana no Japão, também voltaram à normalidade esta manhã.

O regime norte-coreano, cujos servidores se encontram no estrangeiro, não se pronunciou sobre este blackout temporário, nem confirmou que tivesse sido originado por um ciberataque.

A desconexão aconteceu alguns dias após o Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, ter prometido "represálias" contra Pyongyang na sequência de o FBI ter acusado a Coreia do Norte de estar atrás do ataque informático contra a Sony Pictures.

O ataque paralisou o sistema informático da empresa e incluiu a difusão, na Internet, de cinco filmes dos estúdios, alguns ainda por estrear, de dados pessoais de 47 mil empregados, de documentos confidenciais, como o argumento do próximo filme da saga James Bond, e ainda de um conjunto de 'emails' trocados pelos dirigentes da Sony.