Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Jorge Sampaio abre comemorações dos 10 anos do 'Courrier'

  • 333

FOTO ANTÓNIO PEDRO FERREIRA

O ex-Presidente é o orador da conferência "O mundo que queremos pós-2015", esta quarta-feira no ISCSP, em Lisboa, pelas 18h. 

"Nunca se é demasiado ambicioso em matéria de direitos humanos fundamentais", garante Jorge Sampaio. O antigo chefe de Estado português, que colaborou com as Nações Unidas, nos últimos anos, no combate à tuberculose e na Aliança das Civilizações, acredita no esforço conjunto de todos os países do mundo para melhorar a condição humana.

Sampaio falará sobre este tema na conferência que assinala o décimo aniversário do "Courrier Internacional". Foi a 8 de abril de 2005 que saiu o primeiro número da revista, então semanal e dirigida por Fernando Madrinha. É esta querta-feira, 8 de abril, às 18h no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP), em Monsanto (Lisboa).

Sampaio faz um balanço "positivo" do esforço que a ONU fez, desde 2000, ao estabelecer os Objetivos de Desenvolvimento do Milénio, cujo prazo de realização é o ano corrente. Reconhecendo que "os resultados são desiguais" nas várias áreas e entre países, o político frisa que "houve grandes progressos em todos os domínios, quer se trate da luta contra a pobreza extrema e a fome, da saúde ou da educação".

O mais importante, sublinha, é que houve "um compromisso concreto em relação a um conjunto preciso de objetivos e metas que foi calendarizado", estimulando o seu cumprimento. Para dar continuidade ao trabalho, Sampaio defende "mais e melhor cooperação e coordenação no plano internacional, mas também no seio de cada país e região". E pede uma aposta forte na educação.

Quatro conferências em quatro cidades 

A intervenção de Sampaio inaugura um ciclo de conferências em quatro pontos do país, para comemorar o aniversário da publicação. Nesta primeira sessão participam ainda a vice-presidente do ISCSP, Alice Trindade e o presidente do grupo Impresa, Francisco Pinto Balsemão. Haverá um debate moderado pelo editor executivo do "Courrier", Rui Cardoso, e um comentário da docente do ISCSP Mónica Ferro, deputada na Assembleia da República.

Seguem-se conferências sobre "A América depois de Obama", pelo professor universitário Miguel Monjardino (15 de abril, às 18h, na Universidade do Minho, em Braga); "O Médio Oriente e a ameaça do extremismo islâmico", com Ana Santos PInto, investigadora do Instituto Português de Relações Internacionais (23 de abril, às 18h, na Universidade de Évora); e, a fechar, "A Europa, a ameaça populista e os riscos de desagregação do projeto europeu", com o historiador e comentador político José Pacheco Pereira (29 de abril, às 18h, na Universidade do Porto).

O melhor da imprensa mundial 

Estes assuntos de interesse mundial são bem o espelho da primeira década do "Courrier", que seleciona os melhores textos da imprensa mundial (jornais, revistas e sítios de Internet), publicando-os em português. Irmã mais nova do "Courrier International" francês, a revista passou ao formato mensal desde 2008, após uma remodelação, e a sua redação fundiu-se com a da secção internacional do Expresso em 2009, sob a direção de Anabela Natário. O diretor atual é João Garcia.

Prestando especial antenção ao que se escreve sobre Portugal lá fora, bem como ao mundo lusófono, a revista dá a ler artigos, reportagens, entrevistas e perfis que seriam, de outro modo, inacessíveis ao leitor português. Além da política internacional, interessam à publicação temas de ciência, ecologia, cultura ou economia. Destaque ainda para as ilustrações e desenhos humorísticos, notas sobre os meios de comunicação cujos textos são publicados e, ainda, ao apanhado mensal de notícias insólitas.