Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Inglaterra já tem uma mulher bispo. Chama-se Libby Lane

Depois de saber da nomeação, nas suas primeiras declarações Libby Lane começou por pedir um minuto de silêncio em memória das vítimas do atentado talibã numa escola no Paquistão

PAUL ELLIS/AFP/Getty Images

A Igreja Anglicana, também conhecida por Igreja de Inglaterra, surgiu há 480 anos por causa de um 'capricho' do rei Henrique VIII. Esta quarta-feira nomeou a sua primeira mulher bispo.

A Igreja Anglicana inglesa nomeou esta quarta-feira, pela primeira vez nos seus 480 anos de história, uma mulher de 48 anos para ocupar a função de bispo, um mês depois de uma reforma ter posto fim a cinco séculos de domínio masculino na hierarquia do clero do Reino Unido. Elizabeth Jane Holden Lane é a partir de agora  bispo de Stockport, no noroeste da Inglaterra e a cerimónia oficial de investidura terá lugar a 26 de janeiro de 201.

Libby Lane, como é conhecida em Inglaterra, depois de saber da sua nomeação, pediu um minuto de silêncio em memória das vítimas do atentado talibã numa escola no Paquistão, que esta terça-feira provocou 141 mortos: "Este é um dia marcante para mim e histórico para a Igreja. Estou honrada e reconhecida por ser chamada para servir como bispo de Stockport e entusiasmada também, bem como um pouco intimidada, por me confiarem este ministério", disse a vigária da diocese de Chester.

A Igreja Anglicana nasceu há 480 anos por causa de um 'capricho' amoroso do pai de Isabel I, primeira rainha de Inglaterra; o rei Henrique VIII [1491-1547] teve seis mulheres e mandou decapitar duas. Para se casar com Ana Bolena, a primeira que mandaria para o cadafalso, teve que se divorciar de Catarina de Aragão.

O Papa Clemente VII não autorizou o divórcio e Henrique VIII rompeu com a tutela de Roma; é assim que em 1534 surge a Igreja da Inglaterra que, 500 anos depois, nomeia uma mulher como bispo, depois de o sínodo geral da Igreja Anglicana ter aprovado em 17 de novembro a reforma que consagrou a ordenação de mulheres como bispos. A alteração, conhecida como "Cannon 33", estabelece agora que "um homem ou uma mulher pode ser consagrado no cargo de bispo".

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, considera num comunicado que "é uma nomeação histórica e um passo importante para a Igreja no sentido de uma maior paridade no seio da sua hierarquia". O primeiro-ministro acrescenta que o Governo vai propor uma lei, ainda esta semana, para permitir que as mulheres bispos tenham lugar na câmara dos lordes, a câmara alta do Parlamento britânico.