Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Hollande. "É uma tragédia. Desconhecem-se as razões"

  • 333

FOTO REUTERS

O Presidente de França François Hollande pôs fim às falsas esperanças de que algum dos passageiros ou tripulantes do avião da Germanwings podia ter sobrevivido à queda nos Alpes. O Governo francês está reunido num gabinete de crise.

"As condições do acidente fazem pensar que não há nenhum sobrevivente", disse hoje o Presidente da República francesa sobre a queda de um avião, esta manhã, quando voava de Barcelona para Dusseldorf. 

Numa curta declaração pública, François Hollande, circunspecto, disse que o governo vai formar de imediato um gabinete de crise para acompanhar "esta tragédia que sucedeu em solo francês" e sobre a qual ainda se "desconhecem as razões". 

Pouco antes, a Lufthansa tinha publicado um tweet dizendo que, "a confirmar-se o seu temor", hoje era "um dia negro para a companhia", mas que ainda esperava encontrar sobreviventes. 

Nos dois minutos que falou, o Presidente francês frisou por diversas vezes tratar-se de uma tragédia e de que não faltaria apoio aos familiares das vítimas, as quais estão "ainda por identificar", mas já é público que a bordo seguiam 45 espanhóis.

Para já, sabe-se que o avião que se despenhou em Alpes-de-Haute-Provence, na região de Digne-les-Bains, "numa zona de difícil acesso", levava 148 pessoas a bordo e os destroços foram encontrados perto de Barcelonnette, segundo informações do Ministério do Interior, cujo ministro, Bernard Cazeneuve, vai a caminho do local.   

François Hollande revelou ainda já ter falado com a chanceler Merkel, para exprimir o seu apoio, uma vez que o maior número de vítimas será de cidadãos alemães. E acrescentou que o rei de Espanha Filipe irá deslocar-se ainda hoje a França.