Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Grécia. Ou há fundos adicionais até 9 de abril ou não há pagamento ao FMI

  • 333

FOTO EPA

Ministro grego estabelece prioridades: primeiro paga-se salários e pensões e só depois o resto. Se não houver verbas para o "resto" - leia-se dívida -, então o país admite começar a falhar prazos.

A Grécia não vai pagar as dívidas ao Fundo Monetário Internacional dentro do prazo estipulado se os credores internacionais não transferirem mais fundos até 9 de abril, anunciou o ministro do Interior grego, Nikos Voutsis, à revista alemã "Spiegel", esta quarta-feira.

"Há fundos suficientes até meados de Abril", explicou Nikos Voutsis à revista alemã, anunciando as prioridades interiores do país: "Se o dinheiro não entra até ao dia 9, nós pagaremos primeiro os salários e as pensões aqui na Grécia e depois iremos pedir aos nossos parceiros internacionais para aceitar e compreender que nós não iremos pagar a tempo ao FMI os €450 milhões". 

Segundo Voutsis, a Grécia terá de chegar a um acordo com os seus credores para adiar o prazo de pagamento da dívida.