Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Francisco vai a Cuba antes de aterrar nos EUA

  • 333

Papa argentino segue as pisadas de Bento XVI e João Paulo II

FOTO FILIPPO MONTEFORTE/AFP/Getty Images

Papa teve uma intervenção na reaproximação histórica entre os dois países, depois de 50 anos de relações congeladas.

Raquel Pinto

Raquel Pinto

Jornalista

O Papa Francisco vai deslocar-se a Cuba antes da visita aos EUA agendada para setembro. A primeira oficial ao país da América Latina na qualidade de Pontífice foi anunciada esta quarta-feira pelo Vaticano. 

"Posso confirmar que o Santo Padre Francisco, tendo recebido e aceitado um convite das autoridades civis e dos bispos de Cuba, irá efetuar uma visita à ilha antes da sua chegada aos EUA, uma viagem já programada e anunciada há algum tempo", refere o porta-voz Federico Lombardi num boletim da Santa Sé.

O padre Lombardi escusou-se, todavia, a fornecer mais detalhes sobre a data da viagem e o roteiro do Papa. Recorde-se que Francisco teve uma intervenção na reaproximação histórica entre os dois países, depois de 50 anos de relações congeladas.

Esta será a primeira visita do Papa argentino a Cuba, seguindo as pisadas dos seus antecessores. Bento XVI e João Paulo II estiveram na ilha, em 2012 e 1988, respetivamente, e reuniram-se com o líder revolucionário. Fidel Castro está afastado do poder desde julho de 2006, depois de ter delegado funções no seu irmão Raul Castro.

Em dezembro do ano passado, Washington anunciava o fim do embargo a Cuba, ao fim de um ano e meio de negociações secretas mediadas por intermediários do Vaticano e do Canadá. Barack Obama e Raul Castro agradeceram publicamente o gesto crucial do Papa.

O primeiro encontro entre o presidente norte-americano e Francisco tinha  acontecido meses antes, a 27 de março, no Vaticano. Depois disso, em correspondência pessoal, Francisco terá instado Obama e Raul Castro a iniciarem uma "nova fase" nas relações entre EUA e Cuba.  Um ano e meio depois, é a vez de o Papa deslocar-se ao continente americano. A visita aos EUA irá decorrer de 22 a 27 de setembro, coincidindo como a edição de 2015 do Encontro Mundial da Família, que irá decorrer em Filadélfia, estando previstas deslocações à Casa Branca e ao Congresso, em Washington, e à sede das Nações Unidas, em Nova Iorque.

"A sua mediação foi sem dúvida eficaz e em conformidade com o espírito cristão, que leva sempre a reconciliação como solução para os conflitos", diz José Feliz Perez, da Conferência dos Bispos Católicos de Cuba, em declarações à Reuters. 

O aperto de mão inédito entre Raul Castro e Obama na histórica cimeira das Américas, no Panamá, foi mais um sinal da viragem de página com vista ao processo de reconciliação.