Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

EUA. Vídeo mostra polícia a disparar contra homem desarmado

  • 333

Um polícia norte-americano disparou contra as costas de um homem desarmado. Uma testemunha filmou o momento com o telemóvel e o vídeo foi usado como prova em tribunal. Agora, o agente foi acusado de homicídio.

Michael Slager, de 33 anos, foi esta terça-feira acusado de ter morto Walter Scott, um homem negro de 50 anos. Na altura do incidente, uma testemunha filmou tudo com o telemóvel. O vídeo veio a público e foi a principal prova da acusação.

Tudo aconteceu num parque em North Charleston, na Carolina do Sul, no último sábado. As imagens, que chegaram a público pelas mãos da família e do advogado da vítima, mostram Slager e Scott frente-a-frente durante breves segundos. Walter Scott começa a fugir e, enquanto corre, o polícia dispara oito vezes. A vítima cai inanimada na relva.

Após o disparo, o polícia aproxima-se do corpo caído e afasta-se. Quando volta para junto do corpo, já acompanhado por outro agente, coloca, aparentemente, um objeto junto aos pés de Walter Scott. 

Nos relatórios posteriormente elaborados por Michael Slager, este alega que a vítima estava armada. No entanto as imagens do vídeo não mostram o mesmo. 

O FBI (Agência Federal de Investigação) e o Departamento de Justiça dos Estados Unidos estão a investigar o que realmente aconteceu. "Quando se toma uma má decisão, não importa que se esteja protegido por um escudo ou que se seja um cidadão na rua, tem que se viver com essa má decisão", disse o chefe da polícia local em conferência de imprensa, citado pela AP.

No mínimo, 30 anos atrás das grades  Se for condenado, Michael Slager pode ficar preso pelo menos 30 anos. A pena pode ser aumentada até prisão perpétua.

Especula-se que Walter Scott tenha fugido de Slager, por ter em dívida a pensão de alimentos dos quatro filhos. No estado da Carolina do Sul, onde este caso aconteceu, é considerado crime e pode levar à detenção do indivíduo até que as contas sejam regularizadas. 

Nos Estados Unidos, a situação está a causar polémica principalmente depois de, nos últimos meses, terem sido revelados vários casos semelhantes. O mais mediático foi o de Michael Brown, um jovem negro de 18 anos que foi baleado por um polícia branco, em Fergunson, no Missouri. O agente foi ilibado de todas as acusações. 

O caso originou debates e protestos sobre o uso da força nas comunidades minoritárias. Várias foram as vozes que se levantaram em defesa da igualdade de direitos e acusaram as autoridades norte-americanas de racismo.