Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

EUA vão exumar 388 vítimas de Pearl Harbor

  • 333

Vista aérea que mostra a frota US Pacifc em chamas na base de Pearl Harbor, no Havai, depois de 360 aviões japoneses atacarem de surpresa.

STF/AFP/Getty

Esta é uma tentativa inédita para identificar os militares mortos no ataque de 1941 com recurso a testes de ADN. Os restos mortais serão desenterrados e transferidos para um laboratório no Havai. 

Robert Work, subsecretário da Defesa dos Estados Unidos, anunciou esta quarta-feira que vão ser exumados os restos mortais de 388 norte-americanos que morreram no ataque a Pearl Harbor.

A operação irá concentrar-se na identificação da tripulação do navio USS Oklahoma. Mais de 70 anos depois serão conhecidas as identidades dos corpos que estão sepultados no Memorial Nacional no Cemitério do Pacífico, em Honolulu.

"Enquanto todas as famílias não receberem a identificação individual, vamos lutar para arranjar uma solução para o número máximo de famílias possível", disse Robert Work, citado pela televisão britânica BBC.

Os restos mortais vão ser desenterrados e transferidos para um laboratório do Departamento da Defesa, no Havai. Aí serão utilizadas várias técnicas e testes, "incluindo o ADN". 

O ataque a Pearl Harbor aconteceu a 7 de dezembro de 1941 e conduziu à entrada dos Estados Unidos na Segunda Guerra Mundial. O navio afundou-se depois de ter sido atingido por torpedos japoneses, causando a morte a 429 pessoas.

Todos os anos, o Pentágono envia equipas forenses para locais no Pacífico onde caíram aviões, em busca dos restos mortais das suas tripulações.