Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Estados americanos ponderam ter professores armados

Para evitar a repetição de massacres como o de Newtown, alguns Estados norte-americanos estão a ponderar autorizar os professores a irem armados para a escola. 

Alguns Estados norte-americanos, como o Arizona, estão a ponderar autorizar os professores a ir para a escola armados, tendo em vista a prevenção de massacres como o de Newtown, no Connecticut, a 14 de dezembro.

A National Rifle Association (NRA), o poderoso lobby que promove o direito à posse de armas nos Estados Unidos, defende que a única forma de evitar massacres como o de Newtown é abatendo os seus autores.

Numa rara conferência de imprensa, uma semana depois de um jovem de 20 anos ter abatido a tiro 20 crianças de seis e sete anos e seis adultos na escola primária Sandy Hook, em Newtown, a NRA apelou à presença de guardas armados em todas as escolas do país.

Mas no Utah, um dos poucos Estados norte-americanos que atualmente autoriza as pessoas a entrarem armadas em escolas públicas, a par do Kansas, o Shooting Sports Council está a oferecer cursos de tiro para professores poderem obter a licença de porte de arma. O número de vagas revelou-se insuficiente para tantos candidatos. Mais de metade dos 400 professores que pretendiam realizar este curso tiveram de ficar de fora por falta de espaço.

O recente massacre no Connecticut relançou o debate sobre a legislação que regula a posse de armas nos Estados Unidos e enquanto uns defendem a sua restrição, outros alegam a necessidade de alargar o direito à posse de armas.

Ao mesmo tempo que professores norte-americanos procuram aprender a utilizar uma arma, Estados como o Arizona estão a preparar legislação para os autorizar a entrar nas suas escolas armados.

O ideal era "um polícia em casa sala"

O ministro da Justiça do Arizona propôs na quarta-feira que "em cada escola que o deseje seja designado o diretor ou qualquer outra pessoa para receber treino de utilização de armas de fogo e de gestão de situações de emergência como a de Newtown".

"A solução ideal seria ter um polícia armado em todas as escolas", mas como isso poderá não ser possível, apontou, "a segunda melhor solução é haver na escola alguém que saiba manusear armas, gerir situações de crise e que tenha uma arma num local seguro".

No Missouri, um projeto de lei semelhante foi apresentado na semana passada e deputados defensores do direito à posse de armas na Florida, Minnesota, Oregon, South Dakota e Tennessee já garantiram que vão também propor legislação nos próximos meses para permitir a entrada de professores armados nas escolas.

Segundo uma sondagem do jornal "USA Today" divulgada na quinta-feira, 58% dos norte-americanos dizem-se a favor de leis mais rigorosas sobre a venda de armas face aos 43% registados em outubro de 2011.