Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Espanhol atira carro com botijas de gás contra a sede do Partido Popular

Aparato policial nas imediações da sede do PP espanhol em Madrid, depois de um empresário ter atirado o seu carro contra o edifício

Paul Hanna/Reuters

Quando foi detido, Daniel Pérez Berlanga disse à polícia que transportava explosivos e que tencionava detoná-los na sede do Partido Popular, acusando o Governo de ser responsável pela sua ruína económica.  

O acesso à sede do Partido Popular em Madrid permaneceu vedado esta manhã, assim como a circulação na Rua Génova onde o mesmo se situa, até a brigada de explosivos ter afastado a risco de explosão. A ameaça partiu de um homem, que pouco antes das 7h, fez o seu carro chocar contra o respectivo edifício declarando à polícia que, além de duas botijas de gás, transportava explosivos que tencionava fazer explodir na meia hora seguinte.

A polícia acabou por concluir que não se encontravam no carro quaisquer engenhos explosivos.

No momento em que foi detido, Daniel Pérez Berlanga, que se apresentou como um empresário falido, afirmou que tencionava vingar-se do Governo do Partido Popular, por considerá-lo responsável pela crise e pela sua ruína económica pessoal. Há alguns meses, Pérez Berlanga candidatou-se a um emprego como funcionário municipal, que não conseguiu obter.

Pérez Berlanga, de 37 anos, é habitante de Bronchales, pequena localidade de Aragão e teve uma situação de depressão há cerca de uma década. Na altura, chegou a roubar um carro de um vizinho, mas atualmente parecia encontrar-se bem, segundo indicou a autarca da sua localidade aos meios de comunicação social espanhóis.

Para além do destacamento para o local de dezenas de viaturas policiais de um veículo dos bombeiros e de um helicóptero, o caso levou ainda a que a circulação do metro tenha sido interrompida na linha quatro, entre Goya e San Bernardo.