Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Encontrado símbolo nazi e lista de 25 alvos na secretária de aluno que matou professor com uma besta

  • 333

FOTO REUTERS

Adolescente de 13 anos levava uma besta, uma faca, uma pistola de ar e ainda um cocktail molotov dentro da mochila. Aconteceu em Barcelona.

Barcelona acordou em choque esta segunda-feira com a notícia de um aluno que matou um professor no Instituto Joan Fuster, situado no bairro de La Sagrera, e feriu mais quatro pessoas - uma docente e três estudantes - depois de ter sido chamado à atenção por chegar atrasado a uma aula. Utilizou uma besta durante o ataque.

Têm sido revelados novos dados, que mostram que o adolescente, de 13 anos, não só não terá agido por impulso, como já estaria a planear o ataque há mais tempo. Além de vários colegas garantirem que o jovem já tinha ameaçado anteriormente matar professores e alunos, foi descoberta na sua secretária uma lista com 25 nomes de colegas e professores a atingir e um símbolo nazi.

O aluno ia munido, além da besta com a qual começou o ataque, com uma faca e uma pistola de ar, segundo os media locais que citam fontes policiais. Dentro da sua mochila foi encontrado também um camuflado e um cocktail molotov.

De acordo com o "El País", a besta necessita da mesma licença de uma espingarda em Espanha, sendo que para a autorização do porte desta arma - que ronda os 500 euros - é necessário não ter antecedentes criminais e ser sujeito a exames teóricos e práticos. Tudo indica que a besta pertencia ao pai do menor - contudo, segundo alguns media locais, a arma poderá ter sido improvisada com madeira, lápis e canetas. Ainda não há confirmação sobre a natureza do projétil.

Ao contrário do que tinha sido avançado inicialmente, o professor não terá morrido pelos disparos da besta que o atingiram, mas com um golpe de faca no abdómen. 

O aluno foi encontrado escondido numa das casas de banho da escola por um professor de Educação Física, tendo ficado por várias horas sob custódia no estabelecimento. Entretanto, o menor já foi levado pelas autoridades para a Unidade Psiquiátrica do Hospital Sant Pau, em Barcelona. Os feridos também foram encaminhados para a mesma unidade hospitalar, mas entretanto já receberam alta.

O governo da Catalunha decretou um dia de luto oficial, enquanto o presidente Artur Mas cancelou todos os eventos oficiais. A escola estará encerrada até esta quarta-feira, altura em que será prestada uma homenagem ao professor falecido.

De acordo com a Direção-Geral Proteção da Infância e da Adolescência (DGAIA), o jovem não deverá ser interrogado pelo crime devido à sua condição de "inimputável", sendo o mais provável vir a ser internado devido a um transtorno psiquiátrico.

Com cinco andares, o Instituto Joan Fuster é frequentado por cerca de 450 alunos e 45 professores, sendo que a maioria não assistiu ao crime. Algumas testemunhas estão a ser transportadas de autocarro para serem ouvidas pelas autoridades, outras estão a receber apoio psicológico.