Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Detido um bispo no âmbito da Investigação ao banco do Vaticano

Monsenhor Nunzio Scarano é suspeito de fraude e corrupção Na mesma operação foram detidos um ex-funcionário dos serviços secretos e um intermediário financeiros.

Mafalda Ganhão, com Lusa

Um bispo, um membro dos serviços secretos italianos e um intermediário financeiro foram detidos hoje no âmbito de uma investigação da justiça italiana ao Instituto das Obras Religiosas (IOR), o banco do Vaticano, anunciou a imprensa.



De acordo com o portal do jornal Corriere della Sera, o prelado detido é o monsenhor Nunzio Scarano, bispo de Salerno, no sul de Itália. Os outros detidos são Giovannni Maria Zito (ex-funcionário dos serviços secretos) e Giovanni Carinzo, todos suspeitos de fraude e corrupção.



Segundo o diário "La Repubblica", há indícios que apontam para a existência de um acordo entre Scarano e Giovanni Zito para repatriar, desde a Suiça e usando um jet privado, 20 milhões de euros pertencentes a amigos do bispo.



Este é o mais recente desenvolvimento de uma vasta investigação lançada pela justiça italiana em setembro de 2010, visando o então presidente do Instituto, Ettore Gotti Tedeschi, e o então diretor-geral, Paolo Cipriani, por branqueamento de capitais.



Fundado em 1942 por Pio XII, o Instituto das Obras Religiosas - que tem um património avaliado em cinco mil milhões de euros e gere as contas de milhares de ordens religiosas e de associações católicas - conheceu vários escândalos de grande dimensão no passado.