Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Cruz Vermelha Internacional apela a uma trégua mínima de 24 horas no Iémen

  • 333

A organização apela ao fim dos combates para que possam ser prestados cuidados médicos às famílias das zonas mais afetadas, como Aden. 

A Cruz Vermelha Internacional lançou este sábado um apelo para uma trégua de 24 horas no Iémen, para prestação de cuidados de saúde à população local, que tem enfrentado há mais de uma semana vários combates.

Apesar dos esforços intensos e dos repetidos contactos durante a semana com todas as partes em conflito, os profissionais de saúde não têm conseguido responder às necessidades da população, indicou a organização, numa comunicação divulgada a partir da Genebra.

"Há necessidade urgente de parar imediatamente com os combates para permitir às famílias das zonas mais afetadas, como Aden, que saiam para terem comida, água e cuidados médicos", pediu Robert Mardini, responsável de operações no próximo e médio Oriente.

O Comité Internacional da Cruz Vermelha (CICR) pediu que todas as rotas aéreas, marítimas e terrestres sejam abertas, pelo menos por 24 horas, para responder às pessoas que têm enfrentado mais de uma semana de raides aéreos e combates no solo.

A coligação liderada pela Arábia Saudita tem realizado ataques aéreos contra os rebeldes xiitas 'huthis', que tomaram em setembro várias zonas do país e forçaram o Presidente Abd Rabbo Mansour Hadi a fugir para território saudita.

Os 'huthis" conquistaram a capital Sana em fevereiro e no mês passado avançaram para a cidade portuária de Aden, bastião de Hadi.Cerca de 48 toneladas de medicamentos e de 'kits' cirúrgicos esperam autorização para serem transportados, por via aérea ou marítima, para o Iémen, acrescentou a Cruz Vermelha, explicando que esse material pode servir para tratar entre duas mil a três mil pessoas.

A Cruz Vermelha tem ainda prontos para enviar tendas, geradores e equipamentos para redes danificadas de abastecimento de água, enquanto uma equipa de quatro cirurgiões espera poder partir de Djibouti para Aden.