Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Coreia do Norte proíbe cidadãos de terem o mesmo nome do líder

O decreto, emitido em 2011, proíbe os cidadãos de terem nome igual ao do líder para "proteger a sua autoridade suprema"

KCNA/REUTERS

Um decreto emitido em 2011, um ano antes da chegada ao poder do atual Presidente pretende "proteger a autoridade suprema" de Kim Jong-un.

Segundo um decreto oficial emitido há três anos pelo então líder Kim Jong-il, a que o canal televisivo sul-coreano KBS teve acesso, todos aqueles que tenham o nome de Kim Jong-un - o seu filho e sucessor -, devem mudá-lo "voluntariamente". "Todos os órgãos do partido e autoridades de segurança pública devem fazer uma lista dos residentes chamados Kim Jong-un e incentivá-los a mudarem voluntariamente os seus nomes", lê-se no documento.

Na altura, o processo envolveu ainda a revisão dos nomes em documentos oficiais, incluindo cartões da segurança social e diplomas escolares. O documento, chamado "uma tarefa a completar", com data de 2011, proíbe também a todos os futuros pais que registem os seus recém-nascidos com o nome do atual líder, mesmo que o apelido não seja Kim, segundo a agência sul-coreana. Kim Jong-un sucedeu ao pai, após a morte deste, em 2011.

Proibições similares são impostas há décadas para os nomes Kim Jong-il e Kim Il-sung, avô do atual líder e ainda hoje, oficialmente, Presidente eterno do país. As medidas fazem parte da propaganda conduzida pelo regime para manter o culto da personalidade em torno dos antigos dirigentes.

Park Jin-hee, desertor norte-coreano que trabalha para o KBS, não duvida que o decreto tenha sido efetivamente aplicado. "Não há ninguém na Coreia do Norte que se chame Kim Il-sung ou Kim Jong-il, e não há dúvidas de que a mesma regra foi aplicada ao nome Jong-un", afirmou, citado pelo jornal britânico "The Guardian".

O Ministério da Unificação sul-coreano, que mantém laços com o Norte, ainda não confirmou o documento, mas descreveu-o como "plausível". "A proibição é altamente provável já que a Coreia do Norte tinha a mesma política na era de Kim Jong-il e Kim Il-sung", referiu um dos funcionários do Ministério, citado pela Reuters. Não há dados relativamente ao número de pessoas que se chamam Kim Jong-un, mas sabe-se que tanto Kim como Jong-un são nomes muito comuns na Coreia do Norte.