Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Coreia do Norte dispara dois mísseis de curto alcance

Líder da Coreia do Norte, Kim Jong Un. Os disparos de mísseis foram uma resposta ao treino dos EUA e Coreia do Sul

KCNA/REUTERS

O lançamento aconteceu em resposta aos exercícios militares dos Estados Unidos e da Coreia do Sul, que vão continunar até ao fim de abril.  

A Coreia do Norte disparou dois mísseis de curto alcance na manhã de segunda-feira e prometeu "ataques impiedosos" contra os inimigos. O gesto é uma resposta aos exercícios militares conjuntos dos EUA e da Coreia do Sul.

Os mísseis foram lançados da costa oeste norte-coreana, com um alcance de cerca de 500 quilómetros, e caíram no mar na costa leste, de acordo com o Ministério da Defesa da Coreia do Sul. Kim Min-seok, porta-voz do Ministério, considerou que os disparos são uma provocação e um obstáculo à paz na Península da Coreia. A seu ver, esta é uma demonstração de protesto armado contra as manobras militares conjuntas da Coreia do Sul e dos EUA, que vão continuar até ao fim de abril.

Para Pyongyang, os exercícios militares da Coreia do Sul e dos EUA são uma preparação para atacar o seu território. Seul e Washington desmentem essa ideia e afirmam que os treinos são manobras defensivas.

Os EUA impuseram sanções à Coreia do Norte, que tem feito testes frequentes com mísseis, no âmbito dos seus treinos militares. A Coreia do Norte propôs aos EUA uma pausa nos seus testes nucleares, caso Washington cancelasse os exercícios militares com a Coreia do Sul. Os americanos rejeitaram a proposta, que consideraram uma "ameaça implícita".

Mais de 28 mil soldados americanos já foram enviados para a Coreia do Sul para deter possíveis ataques do Norte. A Guerra da Coreia, travada de 1950 até ao armistício de 1953, nunca foi encerrada com um tratado de paz entre as duas Coreias.