Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Copiloto tinha "vontade de destruir o avião"

  • 333

FOTO EPA

Procurador de Marselha confirmou que o copiloto do A320 da Germanwings estava sozinho no cockpit e que alterou os parâmetros de voo iniciando uma descida de emergência. Recusou ainda abrir a porta da cabina de pilotagem.

Carlos Abreu e Maria João Bourbon

Quem estava a pilotar o A320 da Germanwings no momento em que aparelho iniciou a descida de emergência era o copiloto, Andreas G. Lubitz, de 27 anos, encontrando-se o comandante no exterior do cockpit, confirmou esta quinta-feira o procurador-geral de Marselha.

"A nossa interpretação é que o copiloto tinha vontade de destruir o avião", afirmou Brice Robin, realçando que o copiloto aproveitou a ausência do comandante.

Segundo o procurador-geral, o copiloto terá alterado intencionalmente os parâmetros de voo, fazendo o avião descer dos 12 mil para os dois mil metros - apesar dos vários avisos da torre de controlo, alertando para a perda de altitude. "Não houve qualquer resposta, qualquer resposta", sublinha o procurador-geral de Marselha. Mais: de acordo com Robin, o copiloto terá impedido o acesso do comandante à cabine de pilotagem, chegando mesmo a dar instruções ao computador de bordo para bloquear a porta.

O procurador acrescentou ainda que não houve qualquer reação por parte do copiloto quando os alarmes de bordo indicavam a colisão iminente, excluindo desde logo a hipótese de um problema de saúde repentino.

"Não parece haver pânico por parte do copiloto. A respiração é sempre igual", disse Robin aos jornalistas, sublinhando que, além da respiração, não se escuta absolutamente nada no interior da cabina. Fora isso, "havia silêncio total".

Brice Robin acrescenta que os passageiros "só se aperceberam do que se estava a passar momentos antes do impacto, altura em que se escutam gritos na gravação [retirada da caixa negra]". 

Patrick Sonderheimer, natural de Düsseldorf, e Andreas Lubitz, residente em Montabaur, na Renânia-Palatinado, estado do sudoeste da Alemanha, eram, respetivamente, o comandante e o copiloto do A320 da Germanwings que caiu esta terça-feira nos Alpes, noticia a imprensa alemã.

Segundo Lufthansa, o copiloto, de nacionalidade alemã, formou-se na escola desta companhia e entrou para os quadros em setembro de 2013. Tinha 630 horas de voo.  

Em declarações à agência alemã DPA, a presidente da Câmara de Montabaur disse esta quinta-feira de manhã que o copiloto Andreas Lubitz vivia em casa dos seus pais, mas também tinha um apartamento em Düsseldorf.  

Brice Robin explica não saber se a família do copiloto tem ou não conhecimento da situação, uma vez que ainda não esteve com esta. E realça que poderá demorar algum tempo até que as famílias das vítimas possam ter os corpos dos seus familiares.

"Continuamos a procurar mais corpos, busca que não estará terminada antes da próxima semana ou daqui a duas semanas. São 150 vítimas e as buscas não terminarão até que se recuperem todos os corpos."

 

[artigo atualizado às 12h13 de 27-03-2015: idade do copiloto corrigida de 28 anos para 27 anos]