Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Copiloto queria ficar na História

  • 333

Getty

Andreas Lubitz dizia que ia mudar o sistema e fazer algo para as pessoas se lembrarem dele para sempre.

À medida que os dias passam mais detalhes sobre a vida de Andreas Lubitz se vão conhecendo. Agora, uma ex-namorada vem dizer que Lubitz queria entrar para a História.

"Um dia vou fazer algo que mude o sistema e aí todos saberão o nome e vão recordar-se dele", disse a ex-namorada, que não se identificou e apenas aparece fotografada de costas, ao jornal "Bild".

A jovem, que é apresentada como assistente de bordo, conta ainda que Andreas Lubitz tinha pesadelos e que o seu comportamento a assustou. "À noite, acordava e gritava: Estamos a cair. Ele sabia como esconder das outras pessoas o que lhe ia por dentro."

A Procuradoria de Düsseldorf revelou, recorde-se, que Lubitz ocultou à entidade patronal e aos seus colegas que estava com uma depressão, inclusive que deveria estar de baixa. 

Apesar das notícias fazerem recair sobre o copiloto da Germanwings a responsabilidade do acidente, que matou 149 pessoas, ainda não foi encontrada nenhuma nota de suicídio.