Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Confirmado. Francisco vai ver Obama

  • 333

Barack Obama e Francisco já se tinham encontrado no Vaticano em março de 2014. Em setembro, será a vez do Papa retribuir e viahar até aos Estados Unidos

SAUL LOEB/AFP/Getty Images

Deslocação aos EUA estava a ser preparada muito antes da viagem de Obama ao Vaticano, em março de 2014. No entanto, foi após este encontro que se acelerou o processo para os EUA receberem o Papa, estando a visita agendada para setembro deste ano.

Josh Earnest, responsável pelo gabinete de imprensa da Casa Branca, libertou esta quinta-feira o comunicado que oficializa a primeira visita do Papa argentino aos Estados Unidos. A visita está agendada para 26 de setembro.

Já em fevereiro deste ano, quando a visita do chefe da Igreja Católica aos Estados Unidos ainda não tinha sido confirmada e se especulava muito sobre essa possibilidade, um porta-voz da Casa dos Representantes tinha anunciado que Francisco iria discursar no Congresso norte-americano.

A deslocação estava a ser preparada muito antes da viagem de Obama ao Vaticano, em março de 2014. No entanto, foi após este encontro que se acelerou o processo para receber de volta o Papa. 

Conhecido como um mosaico cultural, o país do Tio Sam encerra uma mistura complexa de religiões. E essa complexidade interfere - e muito - na escolha de quem governa, seja uma pequena câmara municipal ou a Casa Branca.



Os cristãos são a representação dominante, que ultrapassa os 80% - com católicos e protestantes na liderança deste grupo. Seguem-se os judeus (1,65%), os muçulmanos (1,32%), os budistas (1,27%) e outros (2,18%). Há ainda a considerar a percentagem de 13,5% de agnósticos.



A religião não-cristã com mais estados seguidores é o Islamismo, presente em vinte estados (sobretudo a Sul), seguindo-se o Budismo (15 estados, maioritariamente a Norte). Com os mesmos 15 estados norte-americanos temos o Judaísmo, que apesar de estar referenciado em menos cinco estados do que o Islamismo congrega um maior número total de seguidores (mais concentrados a Nordeste). Na parte inferior desta tabela surgem o Hinduísmo, que se revela em dois estados - Delaware e Arizona - e a religião Baha'i, com maior expressão na Carolina do Sul.



Em 2014, um "termómetro" de tolerância religiosa indicava que judeus, católicos e evangélicos eram os mais bem-recebidos nos EUA, em contraponto aos ateístas e muçulmanos. Na categoria intermédia encontramos a religião budista, hindu e mórmon, segundo um estudo desenvolvido pelo Pew Research nas New American Trends Panel - ou seja, um painel das novas correntes no país.



Num universo de mais de 80% de cristãos, seria difícil imaginar que a imagem do Papa Francisco fosse negativa. Os americanos identificam-se com Francisco e as sondagens reflectem-no, com o Pontificado do representante máximo da Igreja Católica a recolher o agrado de 78% dos inquiridos. Entre os católicos essa percentagem aumenta e sobre para 93% e entre os não católicos ronda os 74%.