Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Cinco cadáveres de bebés num congelador em Bordéus

  • 333

Um novo caso de presumível infanticídio, com cadáveres de bebés congelados, está a chocar a França. É a quarta tragédia do género, nos últimos nove anos no país. Mãe é a principal suspeita da nova descoberta macabra, na região de Bordéus.

Daniel Ribeiro, correspondente em Paris

Quatro dos cadáveres dos cinco bebés foram descobertos, na quinta-feira, num congelador. O outro, de um recém-nascido, estava escondido numa bolsa isotérmica. Todos os cadáveres estavam na mesma casa de Louchats, uma aldeia a 50 quilómetros de Bordéus.

Foi o provável pai das crianças, um agricultor de 40 anos, que descobriu o corpo do recém-nascido e alertou as autoridades. Em detenção para interrogatório desde ontem, não parecia saber, segundo a polícia, da existência dos outros quatro cadáveres.

A mulher, de 35 anos, foi internada num hospital da região para exames ginecológicos e psiquiátricos. A polícia local indicou que vão ser igualmente realizados testes ADN para determinar se ela é a mãe dos cinco bebés e se eles nasceram com vida.

O bebé, encontrado num saco isotérmico, teria nascido em casa depois de "uma gravidez dissimulada", segundo as primeiras informações da polícia.

Trata-se do segundo caso mais grave de presumível infanticídio, em França, desde há nove anos. Em 2010, foi revelado o mais grave de todos, quando foi descoberto que uma mãe matara oito filhos numa localidade do norte do país por pensar que eles eram fruto de um incesto do qual tinha sido vítima.

Mas, no mesmo período, foram revelados outros casos idênticos que chocaram o país. Em 2013, uma mãe da região de Lyon também tinha assassinado dois bebés nascidos depois de uma gravidez dissimulada e cujos cadáveres escondera num congelador.

Em 2006, outra mãe também confessara ter assassinado três bebés, dois na região de Tours e um na de Bordéus. Nesta tragédia de 2006, psiquiatras disseram que a mãe teria agido por "negação da gravidez", um fenómeno que se repetiu depois noutros casos de menor dimensão e impacto mediático.

O casal protagonista da atual tragédia, em Bordéus, tem duas filhas de 13 e 15 anos de idade.