Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Chefe de Estado e de Governo vão reunir-se de emergência para discutir tragédia no Mediterrâneo

  • 333

Cimeira foi marcada para esta quinta-feira e vai discutir opções de ação imediata à tragédia dos naufrágios recorrentes no Mediterrâneo.

Susana Frexes, em Bruxelas

A cimeira extraordinária do Conselho Europeu foi convocada esta segunda-feira de tarde pelo seu presidente. Numa mensagem vídeo divulgada na sua conta na rede social Twitter, Donald Tusk diz que "não podemos aceitar que centenas de pessoas morram a tentar atravessar o mar para a Europa".

Ao marcar a reunião, Tusk afirma não esperar "soluções imediatas para as causas que estão na raiz do problema da migração", porque essas não existem. "Se existissem já as teríamos usado há muito tempo", justifica. A cimeira vai sobretudo servir para que a Comissão Europeia e os Serviços Europeus de Ação Externa apresentem opções para uma ação imediata.



Na quinta-feira, os chefes de Estado deverão debater questões sobre como travar o tráfico humano. Segundo o polaco que preside ao Conselho Europeu é preciso ainda "avançar nos esforços conjuntos para resgatar pessoas que precisam, ajudar os Estados-membros mais afetados, e aumentar a cooperação com os países de origem e trânsito".  

 

A reunião de quinta-feira terá em conta a discussão desta segunda-feira entre os ministros dos Negócios Estrangeiros e da Administração Interna. Tusk vai também reunir-se com a Comissão Europeia e a alta representante para a política externa para coordenar esforços.

 

O polaco diz ainda que a tragédia dos migrantes não diz respeito apenas aos países do sul, mas a todos os Estados-membros, e, pede, por isso, a colaboração dos 28 países da União Europeia.

[Notícia atualizada às 17h]