Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Centro de Sydney evacuado devido a sequestro num café

FOTO EPA

Um homem armado entrou num café no centro de Sydney e fez reféns um número ainda indeterminado de pessoas. Uma bandeira foi levantada no local - um especialista diz que se trata de uma bandeira islâmica, mas que não corresponde à que é habitualmente usada pelo Estado Islâmico.

Aconteceu por volta das 9h30 locais (22h30 em Portugal): um homem entrou no café Lindt, em Martin Place, no movimentado centro financeiro de Sydney, e fez um número ainda indeterminado de reféns. Inicialmente pensava-se que 20 pessoas poderiam estar presas no interior do estabelecimento, mas as últimas informações apontam para cerca de 13 sequestrados.

Várias imagens captadas pelos meios de comunicação locais mostraram pelo menos duas mulheres, uma das quais vestida com a farda da chocolataria, a segurarem uma bandeira preta com uma inscrição em árabe. Outros reféns foram também fotografados com as mãos levantadas contra as janelas, em sinal de rendição.

Um perito em islamismo em Washington, Aaron Zelin, disse através da sua conta de Twitter que a bandeira exibida na janela do café Lindt é uma bandeira islâmica, mas que não corresponde à que é habitualmente usada pelo Estado Islâmico. Inicialmente, várias informações davam conta de que a bandeira poderia pertencer ao Estado Islâmico ou à Frente Al-Nusra, um grupo radical sunita que opera na Síria.

Entretanto foi também revelada uma imagem do sequestrador, que, segundo relatos de testemunhas no local, deverá estar armado. Transeuntes que se encontravam junto ao café na altura do sequestro dizem ter ouvido uma mulher gritar "ele está armado". Relatos dão conta de que poderá ter na sua posse uma metralhadora e talvez um machete.

O incidente obrigou ao encerramento de várias ruas, muitas empresas na zona foram evacuadas, e chegou a ser anunciado o fecho do espaço aéreo de Sydney, uma informação que acabou por ser desmentida mais tarde. A estação de comboios de Martin Place também foi encerrada. O aeroporto de Sydney informou, entretanto, que continua operacional e está a trabalhar com a polícia para garantir a segurança dos passageiros.

O edifício da Ópera também foi evacuado por alegadamente ter sido encontrado um pacote suspeito no seu interior. Ainda não se sabe se este episódio estará relacionado com a situação no café.

O primeiro-ministro australiano, Tony Abbott, emitiu um comunicado no qual afirmou que o incidente é preocupante "mas todos os australianos devem estar seguros de que os nossos agentes e órgãos de segurança estão bem treinados e equipados e estão a responder de forma cuidadosa e profissional".